PUBLICIDADE
Topo

Santos

Mesmo com diálogo, atraso nos salários volta a assombrar Santos e incomoda

Ariel Holan conversa com elenco do Santos antes de treino nesta quinta, no CT Rei Pelé - Ivan Storti/Santos FC
Ariel Holan conversa com elenco do Santos antes de treino nesta quinta, no CT Rei Pelé Imagem: Ivan Storti/Santos FC

Eder Traskini

Do UOL, em Santos (SP)

27/04/2021 04h00

O Santos parece viver eterno looping de problemas financeiros. Depois de fazer o maior corte salarial do país durante a primeira paralisação devido à pandemia do coronavírus no ano passado — 70% dos vencimentos —, o Peixe estava colocando as contas em dia, mas voltou a sofrer com atrasos neste mês. Apesar dos problemas financeiros, o Alvinegro praiano enfrenta hoje (27), às 21h30, o Boca Juniors, em La Bombonera, pela segunda rodada do Grupo C da Copa Libertadores.

Como publicou o UOL Esporte, o Peixe pagou o teto de até R$ 100 mil, sendo que atletas que recebem acima do valor ficaram com a quantia sobressalente atrasada. Entre eles estão, obviamente, os principais jogadores do elenco e que recebem os maiores salários.

Os frequentes problemas financeiros incomodam. O próprio venezuelano Yeferson Soteldo, que se transferiu para o Toronto FC, do Canadá, utilizou os termos "receber em dia" como um dos fatores para aceitar a oferta e se mudar para o clube da MLS.

A atual diretoria do presidente Andres Rueda tem bom diálogo com os atletas e não toma decisões sem antes avisar o elenco. O valor de R$ 100 mil pago no último mês foi decidido em acordo com o grupo — que espera receber o restante do montante até o fim da semana. Isso não quer dizer, porém, que os atletas não se incomodem com a situação de conviver com atrasos salariais recorrentes há pelo menos um ano.

Internamente, uma ala da direção vê insatisfação de parte do vestiário com a prioridade do pagamento das contas que se empilham no clube. Desde que assumiu, Rueda vem acertando diversas dívidas antigas e minimizando outros gastos. Porém, o fato de outras dívidas "passarem na frente" do salário não caiu bem com o novo atraso.

Outra ala ainda vê a necessidade de contratação de um superintendente de futebol. O Peixe chegou a ter Paulo Autuori na função, com William Thomas como diretor executivo e Jorge Andrade, atual gerente de futebol, como gerente de base. Os dois primeiros, entretanto, já deixaram o clube. Felipe Ximenes chegou a ocupar uma das funções durante o fim do último ano, mas também saiu por desgaste.

Assim, o Peixe ficou apenas com Andrade para cumprir as funções de Superintendente e Executivo e trouxe Felipe Gil para a base. José Renato Quaresma é o membro do Comitê de Gestão responsável pelo futebol que completa o Departamento ao lado de Everson Rocha, Head Scout do clube.

Uma das dívidas que durou algum tempo — e ainda dura parcialmente, já que o Santos só quitou metade do valor — foi o bicho pela classificação à final da Libertadores, quando o Peixe bateu o Boca Juniors (ARG) na semifinal da competição de 2020. O Santos volta a enfrentar o clube argentino hoje (27), às 21h30, em La Bombonera, com o mesmo contexto: problemas financeiros e atrasos salariais.

FICHA TÉCNICA:

BOCA JUNIORS x SANTOS
Competição: Copa Libertadores da América - segunda rodada do Grupo C
Data: 27 de abril de 2021 (terça-feira)
Horário: 21h30 (de Brasília)
Local: estádio La Bombonera, em Buenos Aires (ARG)
Árbitro: Jesús Valenzuela (VEN)
Assistentes: Carlos Lopez e Lubin Torrealba (ambos VEN)

BOCA JUNIORS: Rossi; Buffarini, López, Izquierdoz e Más (Capaldo); Almendra, Varela e Medina; Tévez; Villa e Soldano. Técnico: Miguel Ángel Russo

SANTOS: João Paulo; Pará, Kaiky, Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison, Vinicius Balieiro e Gabriel Pirani; Lucas Braga, Marinho e Marcos Leonardo. Técnico: Marcelo Fernandes

Santos