PUBLICIDADE
Topo

Santos

Ariel Holan pede demissão e não é mais técnico do Santos

Eder Traskini

Do UOL, em Santos

26/04/2021 09h09Atualizada em 26/04/2021 13h17

O técnico Ariel Holan conversou com a diretoria após a derrota por 2 a 0 para o Corinthians e pediu demissão do cargo de treinador do Santos. O presidente Andres Rueda tentou reverter a decisão, mas o argentino preferiu deixar o clube.

A princípio, Rueda anunciou que ele se despediria nesta terça-feira contra o Boca Juniors (ARG), às 21h30, pela Copa Libertadores, mas depois, em conversa com o treinador, ficou acertada sua saída imediata. Marcelo Fernandes, membro da comissão técnica permanente do Peixe, será o comandante do time na partida.

Holan afirmou que não vinha conseguindo fazer com que a equipe jogasse da forma como ele gosta e, diante disso, preferiu sair para que o Peixe pudesse seguir outro caminho a partir da queda da punição da Fifa que impedia o clube de contratar.

"Ontem (25), conversando com o treinador após o jogo, como sempre fazemos após as partidas de forma transparente, ele nos solicitou que o jogo de amanhã (27) contra o Boca fosse seu último jogo à frente do time. Ele ponderou que o resultado e o fruto do trabalho não estavam aparecendo, e que no futebol os resultados têm que ser imediatos e achava que neste momento que conseguimos liberar o transfer ban, o melhor que ele poderia fazer para o clube era nos deixar para que tivéssemos tranquilidade para escolher o novo técnico e que esse novo treinador nos ajudasse nas contratações pontuais que o time precisa. Não era o que eu queria, mas de comum acordo aceitamos a situação. Tentei reverter, mas não teve jeito. Houve casos de fogos no apartamento dele, estouraram rojão e essa situação deixou ele desconfortável", afirmou o presidente Andres Rueda em entrevista coletiva nesta manhã.

Ariel Holan foi anunciado como técnico do Santos no final de fevereiro. Ele não comandou o time nos primeiros dois jogos da temporada, enquanto ainda se ambientava no clube, e encerra sua passagem com 12 jogos: foram quatro vitórias, três empates e cinco derrotas.

O treinador argentino optou por deixar a Universidad Católica após o título do campeonato chileno para acertar com o Peixe e abriu mão de boa parte do salário pedido inicialmente durante a negociação. Ele sabia da dificuldade que teria no comando do time com elenco curto, repleto de jovens e sem poder contratar reforços.

O contrato do Santos com Ariel Holan era de três anos, até o fim da gestão do atual mandatário Andres Rueda — eleito em dezembro de 2020 para o triênio 2021/2023. O presidente afirmou que a saída do argentino foi em comum acordo.

O Peixe identificou em Holan o perfil desejado para os próximos anos no clube: um treinador capaz de trabalhar com as categorias de base e desenvolver jovens atletas. O clube não pretende fazer muitas contratações diante da atual situação financeira delicada vivida. O argentino elogiou por diversas vezes a qualidade dos jovens do Peixe, mas também alertou para a necessidade de reforços.

Santos