PUBLICIDADE
Topo

Futebol

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Menon: "Jô parece um corpo estranho no jogo"

Do UOL, em São Paulo

23/04/2021 04h00

Classificação e Jogos

O Corinthians ficou devendo futebol em sua estreia na Copa Sul-Americana. Nesta quinta-feira, o time paulista ficou no 0 a 0 com o River Plate, do Paraguai, fora de casa, e o desempenho de Jô e Luan mais uma vez não agradou.

No Fim de Papo, live pós-rodada do UOL Esporte - com os jornalistas Luiza Oliveira, Mauro Cezar Pereira, Rodrigo Mattos e Menon - os atacantes receberam comentários negativos sobre suas atuações, que já não têm sido destacadas nas últimas partidas.

"O Jô não consegue fazer essa jogada típica de centroavante. Parece um corpo estranho no jogo. Não consigo vê-lo hoje como jogador de time grande. O Luan deveria ser treinado para chutar mais perto da área. Ele não sai para o jogo, não compete. Acho difícil o futuro desses dois jogadores. É mais triste a situação do Luan, que é mais novo", avaliou Menon.

Para Mattos, a contratação da dupla reflete o pensamento comum de alguns dirigentes. "Eles contratam um cara que foi bem três, quatro anos antes. Nem analisam como ele está naquele momento. O futebol brasileiro sempre acha que o sucesso vai se repetir. O Luan lembra um pouco a história do Ganso. Parece que ele ficou velho cedo demais. Não sei se é algo físico, psicológico, mas o Luan sequer se torna um jogador competitivo. Ele desaparece desse tipo de partida mais brigada, como a de hoje", disse, citando o caso do meia do Fluminense - que brilhou no Santos, mas teve passagem apagada pelo São Paulo.

Mauro Cezar concorda e acha difícil, no caso de Luan, que ele repita as boas atuações dos tempos do Grêmio. "Foram duas contratações injustificáveis. O Grêmio estava louco pra negociar o Luan. Cogitou até uma troca por Thiago Neves. Já era um sinal de que o Grêmio havia desistido dele. Surgiu o Corinthians e fizeram um investimento. O Jô foi outra maluquice, achando que 2017 seria um ano interminável. Deu um caldo ano passado, mas não dá pra contar com ele com assiduidade. Evidenciam incompetência, falta de entendimento da diretoria. Luan me parece um caso perdido. O ocaso veio muito rápido", lamentou.

Para Mattos, o time paga pelos equívocos da diretoria, que não tem recursos financeiros para buscar reforços e dar mais opções ao técnico Vagner Mancini. "O Corinthians fez muitas opções erradas em contratações. Já passou da fase de cortar despesa. Dilapidaram a base do clube, que não produz mais jogador. Vamos tornar o time barato, mas vai botar quem?", questionou.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Futebol