PUBLICIDADE
Topo

Corinthians

Mancini alterna experiência e juventude, mas Corinthians segue inofensivo

Mancini conversa com elenco em véspera do jogo do Corinthians  - Rodrigo Coca/ Ag. Corinthians
Mancini conversa com elenco em véspera do jogo do Corinthians Imagem: Rodrigo Coca/ Ag. Corinthians

Guilherme Amaro

Colaboração para o UOL, em São Paulo

23/04/2021 04h00

Classificação e Jogos

O técnico Vagner Mancini optou por escalar o Corinthians mais experiente contra o River Plate-PAR, na estreia na Copa Sul-Americana. A escolha, porém, não surtiu o efeito desejado. O Timão ficou apenas no empate sem gols com o rival que é lanterna do Campeonato Paraguaio.

Por conta da maratona de jogos, Mancini vinha revezando na formação do Corinthians. Se em uma partida coloca o "time A", com mais jogadores considerados titulares, no duelo seguinte escala o "time B", com mais reservas. Para a estreia na Sul-Americana, mesclou as duas formações e viu o ataque decepcionar novamente. O Alvinegro foi inofensivo em Assunção (PAR), embora tenha dominado a posse de bola.

Do time que iniciou a partida, os mais jovens eram o zagueiro Bruno Méndez e o volante Xavier, ambos de 21 anos. Apenas nos minutos finais do jogo que Mancini trocou o sistema ofensivo. Entraram Gustavo Mosquito, Vitinho, Cauê e Gabriel Pereira e saíram Otero, Luan, Jô e Léo Natel. O treinador não pôde contar com Rodrigo Varanda, que ficou em São Paulo para tratar uma pancada sofrida no pé.

Antes de mudar o ataque, Mancini já tinha colocado Cantillo na vaga de Xavier na volta do intervalo. Depois, com os jovens do sistema ofensivo, a ideia era dar "leveza" ao time. O Corinthians até teve novo gás e criou mais oportunidades no fim da partida, mas não conseguiu marcar.

"A entrada do Cantillo era para que a gente tivesse um volume maior, que a bola chegasse mais rapidamente ao setor ofensivo. Ele contribuiu bem. A entrada dos atacantes era para dar mais leveza e para nos dar um alento diferente no jogo, porque tínhamos entrado com um time mais experiente", afirmou Mancini.

O Corinthians terá pela frente uma sequência de jogos complicada. Pelo Paulistão, serão dois clássicos: contra Santos e depois São Paulo, nos próximos domingos. Nas duas próximas quintas-feiras, enfrentará os outros dois adversários do Grupo E da Copa Sul-Americana: o Peñarol-URU e o Sport Huancayo, do Peru.

Corinthians