PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Ele rimou no trem pelo Flu. Hoje investe em automobilismo e quer lutar boxe

Xamã homenageou Anitta em seu novo clipe da música "Áries" - Rpeorudção/Instagram
Xamã homenageou Anitta em seu novo clipe da música 'Áries' Imagem: Rpeorudção/Instagram

Flavio Latif

Do UOL, em São Paulo (SP)

22/04/2021 04h00

O rapper Geizon Fernandes, mais conhecido como Xamã, é um dos principais nomes do estilo musical no Brasil e tem diversos hits no seu currículo, como "Luxúria" e "A Bela e a Fera". No entanto, a vida do artista não foi sempre assim. Ele já foi camelô e teve que rimar no vagão do trem para poder ir ao Maracanã e assistir uma de suas paixões: o Fluminense.

Em entrevista ao UOL Esporte, o cantor revelou que, antes de estourar na carreira musical, trabalhava como vendedor de um camelô, em Madureira (bairro popular do Rio de Janeiro), mas foi demitido por sempre se atrasar para o trabalho — e a gota d'água foi um dia que ele saiu na hora do almoço para comprar um ingresso do jogo do Tricolor das Laranjeiras.

"Eu trabalhava em Madureira, como vendedor de um camelô —nem era meu, eu trabalhava para um cara. O problema é que eu chegava atrasado todo dia, e ele ficava bravo comigo. Em um dia de jogo do Fluminense, usei a hora que eu tinha de almoço para ir comprar um ingresso. Só que eu era duro, só tinha o dinheiro do ingresso no bolso e quando eu voltei para o trabalho acabei sendo demitido", contou.

"Fiquei pensando o que eu poderia fazer para juntar um dinheiro para comer alguma coisa e comprar algo para beber. Fui pro trem rimar para arrumar um trocado, caçar um dinheiro, naquele dia tava bom e até acabei conseguindo um dinheiro. Depois encontrei uns amigos, comprei uma cerveja e foi uma energia muito boa no estádio", completou.

Além do amor pelo futebol, Xamã tem proximidade com mais dois esportes: o automobilismo e o boxe. O rapper afirmou que, ao lado da Bagua Records (produtora do artista), está montando um projeto para disputar o Campeonato Brasileiro de Turismo Nacional — uma categoria abaixo da StockCar.

"Nós estamos montando um projeto em automobilismo. A gente montou na Bagua Records (produtora do Xamã) uma equipe para disputar o Campeonato Brasileiro de Turismo Nacional. É uma categoria abaixo da StockCar, nossos carros são modificados pela Citroën e nossa equipe está treinando. O mais próximo que eu tenho do esporte, sem ser o Fluminense, é o automobilismo. Todos nossos carros têm uma bandeira escrito 'Rap Nacional'", disse.

Se você já viu o Instagram de Xamã, deve ter reparado que o cantor costuma publicar alguns vídeos lutando boxe. Ele revelou que o pugilismo o ajuda a equilibrar o corpo, já que a carreira musical deixa o emocional bem cansado.

O rapper é treinado pelo ex-UFC Felipe Olivieri e quer ir além: competir em ao menos uma luta amadora de boxe para por a prova tudo que aprendeu nos últimos anos treinando.

"Eu comecei o boxe para equilibrar o meu corpo. A carreira musical te cansa emocionalmente. Você fica exausto e precisa manter seu corpo equilibrado. O boxe me ajudou com isso, faz eu me controlar, mantém minha cabeça no lugar. Eu tenho o desejo de competir, essa história de que 'o importante é participar' não existe para mim, eu quero ganhar. Não pretendo ser boxeador, mas pretendo fazer uma luta amadora, quero por a prova do que eu aprendi", concluiu.

Futebol