PUBLICIDADE
Topo

Corinthians

Gaviões critica veteranos, pede saída de Mancini e diz: 'Paciência acabou'

Técnico Vagner Mancini foi alvo de críticas por parta da Gaviões da Fiel - Rodrigo Coca/ Ag. Corinthians
Técnico Vagner Mancini foi alvo de críticas por parta da Gaviões da Fiel Imagem: Rodrigo Coca/ Ag. Corinthians

Do UOL, em São Paulo

17/04/2021 13h53

A Gaviões da Fiel, maior torcida organizada do Corinthians, cobrou os jogadores e o técnico Vagner Mancini pela performance dentro de campo. Após a derrota para a Ferroviária e o empate contra o São Bento apresentando algumas dificuldades, os torcedores afirmam que "a paciência acabou", e embora "o Corinthians esteja na 1ª colocação do Campeonato Paulista", "o desempenho e a entrega do time está muito abaixo do esperado".

Em razão da pandemia, os torcedores afirmam que não podem "entrar no CT e cobrar os jogadores olho no olho", mas elencaram nominalmente o que consideram que deve ser melhorado na equipe.

"Segundo nossas apurações com a comissão de sócios que acompanham o clube e em reunião com os próprios dirigentes do Corinthians, sabemos que os salários não estão atrasados. Diante disso, não vemos desculpa para o futebol apresentado, principalmente por parte de jogadores experientes. Jô, Luan, Fagner, Cássio, Gil, Fábio Santos e Gabriel são veteranos e precisam criar vergonha na cara e jogar a bola que sabem", diz uma nota oficial divulgada no site da entidade.

"Em relação ao técnico Vagner Mancini, reconhecemos sua importância na temporada passada. Mas, percebemos que não dá mais e por isso, pedimos a sua saída - já que ao longo da sua passagem, não conseguiu organizar o elenco. O time não possui padrão de jogo e mesmo depois de tantos meses, sequer encontrou um time titular e a cada jogo vemos mudanças sem efeito e o nível do futebol sempre muito aquém do peso da camisa corinthiana", prossegue o texto.

Segundo a torcida, se o clube não "cumprir com a obrigação" de entrar em campo "com raça e respeito à camisa do Corinthians", a cobrança será "à altura".

"Já que não podemos ir até o CT conforme nossa vontade, por conta da pandemia, dos decretos impostos pelo Estado e as proibições vindas do próprio Corinthians, encontraremos outras maneiras de exigirmos que joguem na mesma proporção do salário que recebem", finaliza.

No início do mês, o diretor do departamento financeiro do Corinthians, Wesley Melo, se reuniu duas vezes com os membros da organizada para detalhar o trabalho da gestão de Duílio Monteiro Alves. Assuntos como a dívida do clube, contratações e reduções de gastos, bem como uma "vaquinha", foram discutidos.

Corinthians