PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Argentino viajou 23h de táxi até o Brasil para se apresentar ao CRB

Diego Torres é destaque do CRB - Divulgação/CRB
Diego Torres é destaque do CRB Imagem: Divulgação/CRB

Bruno Fernandes e Josué Seixas

Colaboração para o UOL, em Maceió

17/04/2021 10h16

Vice-artilheiro do CRB e um dos destaques do time no jogo de hoje contra o Bahia, o argentino Diego Torres, do CRB, tem história para contar. Ele nunca imaginaria que teria de sair de Córdoba, na Argentina, de táxi, no meio de uma pandemia, para se apresentar ao time de Maceió. Mas foi justamente isso que aconteceu. Era julho de 2020, e as restrições para conter o avanço da pandemia do coronavírus o impediam de pegar um avião direto para o Brasil. A Argentina estava com seus aeroportos fechados, e foi preciso criatividade para fazer o trajeto de mais de mais de 4.700 km.

Foram 15 horas de táxi na primeira parte da viagem, de Cordoba até Uruguaiana, no Rio Grande do Sul. Depois, ele embarcou em outro táxi até Porto Alegre, onde finalmente conseguiu pegar um avião para Maceió depois de mais oito horas na estrada. O custo dessa brincadeira? Ele diz não se lembrar, mas valeu a pena.

"Quando fechei com o CRB, estava treinando por vídeo. Conheci uma parte do pessoal assim. E aí o futebol estava para voltar e eu precisava vir. Lembro que começamos a viagem às 4h [da manhã] e passamos por muitos policiais. As coisas iam ficando difíceis, mas conseguimos. Só o trecho de Porto Alegre a Maceió que foi de avião. Eu já tinha jogado na Chapecoense, mas o Nordeste [do Brasil] é bem diferente. Muito calor. Tive que me adaptar rápido", contou o argentino ao UOL Esporte.

Divulgação/AV Assessoria de Imprensa - Divulgação/AV Assessoria de Imprensa - Divulgação/AV Assessoria de Imprensa
Diego Torres, camisa 10 do CRB
Imagem: Divulgação/AV Assessoria de Imprensa

A adaptação de Diego, em 2020, teve altos e baixos. O CRB foi campeão alagoano em 2020 e começou a Série B com força, conquistou pontos importantes, mas perdeu força durante o campeonato, deixando pontos pelo caminho. A equipe terminou a competição no 10º lugar, a 11 pontos da zona de classificação para a elite do futebol brasileiro. Na nova temporada, o Galo tem mais a comemorar: está nas quartas de final da Copa do Nordeste, na terceira fase da Copa do Brasil e lidera o Campeonato Alagoano.

"O time hoje é maduro. Vacilamos em alguns jogos na Série B, mas estamos construindo algo melhor agora. O [técnico] Roberto Fernandes é um cara de muita garra, de pedir o sangue. Ele foi um cara que lutou muito para mantermos a base do nosso time e eu me incluo nisso. O CRB queria que eu ficasse e eu queria ficar. E, ao ficar, eu sabia que tinha que me dedicar ainda mais do que quando eu cheguei. Meu começo de temporada é bom porque tenho ainda mais confiança, tanto minha quanto dada pelo clube", analisou Diego.

O camisa 10 do CRB é o vice-artilheiro do time até agora, com quatro gols. Ele balançou a rede em duas partidas seguidas: contra o Altos, pela Copa do Nordeste, e contra o Paysandu, na última terça-feira (13). Na partida, Diego perdeu uma chance clara de gol. Tinha só de empurrar para a rede, mas uma falha no campo dificultou as coisas para ele na hora de dominar.

"O Lucão passou a bola para mim e eu iria chutar de primeira, mas ela quicou errado e eu tive que dominar, me ajeitar e acabei errando o lugar em que deveria ter mandado. Passei o primeiro tempo inteiro com o gol perdido na cabeça. Fiquei triste e demorei para voltar à partida. Felizmente, a chance do gol de empate veio para mim e eu consegui mandar para a rede. Até pouco antes do gol, eu ainda estava meio triste. Depois, entrei na partida."

Somando todas as competições que disputa, o CRB só perdeu um jogo na atual temporada, justamente contra o Fortaleza, pela Copa do Nordeste. Daquele 1 a 0 até aqui, o time soma 11 jogos sem derrota, dos quais sete são vitórias. Contra o Bahia, o time alagoano encontrará o ataque mais perigoso da competição, além do artilheiro Gilberto. Diego jogou a responsabilidade para o Esquadrão.

"Eles são o time de Série A e eles jogam em casa. Nós temos que entrar em campo leves, tranquilos, porque nossa temporada é muito boa. Perdemos só um jogo em todo o caminho. Vai ser um jogo muito difícil por tudo o que está envolvido, por ser um mata-mata. Temos boas chances e vamos lutar para convertê-las em vitória".

O CRB volta a campo neste sábado, às 16h, contra o Bahia. E Diego Torres vai mais uma vez tentar provar que o esforço para se apresentar ao time valeu a pena.

Futebol