PUBLICIDADE
Topo

Cruzeiro

Cruzeiro volta a ter dificuldade para quitar salários por bloqueio judicial

Cruzeiro sofre com bloqueios judiciais e volta a atrasar salários de funcionários - Divulgação/Cruzeiro
Cruzeiro sofre com bloqueios judiciais e volta a atrasar salários de funcionários Imagem: Divulgação/Cruzeiro

Guilherme Piu

Do UOL, em Belo Horizonte

16/04/2021 04h00

Classificação e Jogos

Em 29 de abril, os conselheiros do Cruzeiro analisarão as contas do clube no exercício de 2020 e há expectativa de números na casa de R$ 1 bilhão no que diz respeito ao montante global da dívida celeste. A realidade financeira da Raposa todo mundo conhece: dificuldade até em honrar compromissos básicos, como o pagamento de salários, que mais uma vez estão atrasados.

Segundo apurou o UOL Esporte, o Cruzeiro iniciou alguns pagamentos depois de uma semana de atraso. Porém, até o fim do expediente bancário de ontem (15), nem todos os funcionários do departamento administrativo haviam recebido os vencimentos de março. Os pagamentos deveriam ter sido feitos no quinto dia útil deste mês (8 de abril). E novamente o clube atrasou seus compromissos.

A reportagem recebeu inúmeras mensagens de funcionários do clube relatando sobre o atraso. Várias pessoas afirmaram que havia promessa de que todo dia 10 os pagamentos salariais seriam creditados na conta dos colaboradores, o que ainda não aconteceu. Ainda de acordo com informações recebidas pelo UOL, as contas do clube estão bloqueadas por processos judiciais há mais de dez dias, o que faz com que os pagamentos voltem a atrasar.

Além da pendência referente ao mês de março, há ainda débitos mais antigos referentes ao ano passado. Parte do 13º e um terço de férias não foram depositados para boa parte dos funcionários.

Em relação ao futebol profissional, os débitos referentes ao ano passado persistem. Havia duas folhas e meia atrasadas, e a expectativa era usar o dinheiro recebido das vendas de direitos econômicos de jogadores, como a do zagueiro Cacá para o futebol japonês, para quitar tais dívidas. Porém, os bloqueios judiciais também são entraves nesse aspecto.

O UOL procurou o Cruzeiro para falar sobre os salários, mas o clube não se pronunciou até a publicação desta matéria.

Cruzeiro