PUBLICIDADE
Topo

Palmeiras

Defensa y Justicia vence o Palmeiras nos pênaltis e é campeão da Recopa

Eder Traskini

Do UOL, em Santos (SP)

15/04/2021 00h21

Classificação e Jogos

O Defensa y Justicia (ARG) conquistou na madrugada de hoje (15) a Recopa Sul-Americana 2021 numa final marcante, com drama, briga e desfecho imprevisível, O clube argentino havia perdido por 2 a 1 para o Palmeiras em Buenos Aires, mas devolveu o resultado em Brasília (DF) e, após prorrogação, conquistou o título nos pênaltis. Luiz Adriano e Weverton perderam cobranças pelo Palmeiras.

O time comandando por Sebastián Beccacece foi superior durante boa parte do jogo, mas só conseguiu a virada aos 48 do segundo tempo após sair atrás. O gol nos acréscimos levou a partida para a prorrogação que decorreu sem alterações no placar. Nos pênaltis, os argentinos levaram a melhor.

O Palmeiras jogou metade do segundo tempo com um jogador a menos, após o lateral Viña ser expulso. O número de jogadores em campo foi igualado na prorrogação, quando Braian Romero recebeu o vermelho após confusão com o banco do Verdão aos oito minutos.

Aliás, a briga fora de campo e a derrota nas penalidades reprisam de certa forma o revés sofrido pelos palmeirenses na disputa da Supercopa do Brasil com o Flamengo, no domingo, também em Brasília.

O Palmeiras volta a campo já nesta sexta-feira (16), às 22h, no Allianz Parque, quando terá pela frente o clássico contra o São Paulo pela quinta rodada do Campeonato Paulista.

O melhor: Rony

Cavaleiro solitário no ataque palmeirense, Rony sofreu o pênalti convertido por Raphael Veiga no tempo normal. Depois, sofreu novo pênalti na prorrogação, dessa vez desperdiçado por Gustavo Gómez, em defesa do goleiro Ezequiel Unsain. Rony foi o jogador mais perigoso do Palmeiras durante a partida, sempre dando opção para puxar o contra-ataque em velocidade.

O pior: Viña

O lateral-esquerdo do Palmeiras sofreu durante a partida para marcar principalmente as descidas de Pizzini. Aos 22 da segunda etapa, perdeu a cabeça em lance no ataque e chutou Frías quando os dois caíram no gramado. A agressão foi punida com cartão vermelho.

Cronologia

Aos 18, Raphael Veiga deu a bola para Rony que disparou pelo centro e foi derrubado por Meza já dentro da área. O árbitro uruguaio não marcou, mas foi analisar o lance por recomendação do VAR e assinalou pênalti para o Palmeiras. Veiga cobrou e abriu o placar.

Aos 29, o Defensa y Justicia trocou passes pelo campo todo até a bola chegar em Rodríguez na direita e ele acionar a ultrapassagem de Pizzini. O meia foi ao fundo e achou Braian Romero no meio da área, que tocou para o gol sem chance para Weverton e igualou o marcador: 1 a 1.

O Defensa já estava melhor quando Viña foi expulso aos 22 minutos da segunda etapa. Os argentinos seguiram em cima até que, aos 48 da segunda etapa, em sobra de lateral cobrado direto para a área, Alan Empereur cortou parcialmente e tentou sair jogando, mas adiantou demais e a bola sobrou para Benitez acertar um chutaço de fora da área e virar.

O duelo foi para a prorrogação e o Palmeiras teve grande chance para pular na frente. Rony foi derrubado de maneira infantil pelo goleiro Unsain. O árbitro precisou novamente do VAR para marcar o pênalti. Na cobrança Gustavo Gómez bateu mal, e Unsain se redimiu, defendendo.

A decisão do título foi para os pênaltis. Luiz Adriano perdeu a segunda cobrança e Weverton perdeu a última, dando o título aos argentinos.

Atuação do Palmeiras: Defensa cria dificuldades

O técnico Abel Ferreira optou por um meio-campo mais jovem com as escalações de Danilo e Patrick de Paula, mas a dupla que havia funcionado bem na Argentina não repetiu a atuação. O Verdão até começou na frente em pênalti sofrido por Rony, mas passou longe de dominar o meio-campo na partida, muito devido aos méritos do time de Sebastián Beccacece. Após a expulsão de Viña, o Verdão fechou uma linha de cinco atrás e deixou apenas Rony para puxar contra-ataques.

Mais briga

Na prorrogação, a arbitragem precisou do VAR para marcar pênalti do goleiro Unsain em Rony. Os bancos de reserva se desentenderam durante o processo e o árbitro acabou expulsando o gerente Cícero Souza, o auxiliar Vitor Castanheira e o atacante Braian Romero, que estava jogando e se envolveu na discussão, deixando dez contra dez e campo.

Veron entra, mas sai após 18 minutos

O atacante Gabriel Veron, dos maiores potenciais do atual Palmeiras, tinha acabado de retornar de lesão e entrou na segunda etapa da partida, mas atuou apenas 18 minutos e acabou substituído após voltar a sentir dores.

FICHA TÉCNICA

Palmeiras 1 x 2 Defensa y Justicia

Competição: Recopa Sul-Americana
Data: 14/04/2021 (quarta-feira)
Horário: 21h30 (de Brasília)
Local: estádio Mané Garrincha, em Brasília (DF)
Árbitro: Leodán Gonzalez (URU)
VAR: Julio Bascuñán (CHI)
Gols: Raphael Veiga, aos 23 minutos do primeiro tempo; Braian Romero, aos 31' do primeiro tempo; Marcelo Benítez aos 48' do segundo tempo
Amarelos: Sebastián Beccacece, Benitez, Frias e Loaiza; Wesley, Marcos Rocha e Patrick de Paula
Vermelhos: Viña, Cícero Souza (gerente de futebol), Vitor Castanheira (auxiliar) e Magoo (preparador físico do Palmeiras); Braian Romero

PALMEIRAS: Weverton; Marcos Rocha (Luiz Adriano), Gustavo Gómez, Luan e Viña; Danilo, Patrick de Paula (Felipe Melo) e Raphael Veiga (Gabriel Menino); Wesley (Gabriel Veron, Empereur), Breno Lopes (Mayke) e Rony. Técnico: Abel Ferreira.

DEFENSA Y JUSTICIA: Ezequiel Unsain; Matias Rodríguez (Britez), Adonis Frias, Fernando Meza, Marcelo Benitez (Breitenbruch); Raúl Loaiza (Hachen), Enzo Fernandez, Francisco Pizzini (Merentiel) e Rotondi (Isnaldo); Walter Bou (Escalante) e Braian Romero. Técnico: Sebastián Beccacece.

Palmeiras