PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Seedorf defende cartão amarelo a jogador que tapar boca ao falar com rival

Ex-meia disse que casos de racismo podem ocorrer durante gesto, que não é captado por câmeras - JAVIER SORIANO/AFP
Ex-meia disse que casos de racismo podem ocorrer durante gesto, que não é captado por câmeras Imagem: JAVIER SORIANO/AFP

Do UOL, em São Paulo

14/04/2021 09h39

O ex-jogador Clarence Seedorf defendeu a punição com cartão amarelo para todos os jogadores que forem flagrados "tapando" a boca durante conversas com adversários.

A afirmação, exposta durante o evento virtual "Diálogo contra o racismo e discurso de ódio em eventos esportivos" - organizado pelo Conselho da Europa -, surge em meio às denúncias de racismo contra Juan Cala, do Cádiz.

Para o ex-meia, proibir o gesto de "esconder as falas" poderia amenizar o problema, já que, em muitos casos, insultos do tipo não são flagrados pelas câmeras.

"Da perspectiva dos jogadores, vi coisas com jogadores falando e cobrindo a boca durante as partidas. Houve algumas situações racistas nas últimas semanas ou meses em que os jogadores entre si fizeram discursos de ódio", iniciou Seedorf.

"Essas coisas podem ser facilmente atacadas com a implementação de algumas regras. Para mim, deveria ser proibido poder falar assim [com as mãos na boca] quando se aproxima de um adversário. Quando falamos de esporte tem que ser totalmente transparente, então por que cobriria a boca se preciso falar com meu adversário?", prosseguiu.

Por fim, o holandês detalhou a sua proposta. "Se eu quiser falar com meu técnico ou companheiro de equipe desta forma, tudo bem, mas quando eu abordar o árbitro ou outro jogador, não deveria haver permissão para tapar a boca. É preciso criar uma sanção, como um cartão amarelo", finalizou ele durante o evento.

Futebol