PUBLICIDADE
Topo

Botafogo

Após acertos em 2020, Botafogo avalia mercado em busca de centroavante

Marcelo Chamusca, técnico do Botafogo - Vitor Silva/Botafogo
Marcelo Chamusca, técnico do Botafogo Imagem: Vitor Silva/Botafogo

Alexandre Araújo e Bernardo Gentile

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

13/04/2021 04h00

A venda de 70% dos direitos econômicos do atacante Matheus Babi, em negociação concretizada ontem (12) com o Athletico-PR, foi boa para os cofres do Botafogo, mas faz com que a diretoria analise o mercado da bola em busca de reforços para o setor ofensivo. Paralelamente a isso, os jovens Rafael Navarro e Matheus Nascimento podem ganhar mais espaço neste início de temporada.

Babi chegou ao Alvinegro no ano passado, após se destacar no Campeonato Carioca com a camisa do Macaé. À época, apesar de ter "estourado tarde", foi considerado pelo comitê que fazia a gestão do futebol como uma boa aposta. Agora, com a ida dele ao Furacão, o Glorioso vai embolsar R$ 3 milhões.

A quantia é bem-vinda em meio à crise financeira e em momento de reformulação, mas, ao mesmo tempo, a transação joga o Botafogo no mercado por um centroavante e faz a cúpula analisar possibilidades com cautela.

A saída de Babi foi a segunda de um nome da posição neste ano. Em fevereiro, Pedro Raul foi para o Kashiwa Reysol, do Japão. O ex-camisa 9 também chegou a General Severiano no ano passado, em uma negociação sem custos, porém, com um gatilho que geraria dívida de R$ 9,6 milhões ao Alvinegro. A situação facilitou a conversa para o adeus — a tratativa foi por US$ 2 milhões (cerca de R$ 10,7 milhões).

Apesar de algumas oscilações, o jogador fez uma boa temporada e chegou a estar na mira de alguns clubes brasileiros, como o Internacional, mas, na ocasião, o Botafogo optou por rejeitar as propostas e permanecer com ele no elenco.

Matheus Nascimento, atacante do Botafogo, em ação contra o Volta Redonda - Vitor Silva/Botafogo - Vitor Silva/Botafogo
Matheus Nascimento, atacante do Botafogo, em ação contra o Volta Redonda
Imagem: Vitor Silva/Botafogo

A crise financeira, inclusive, se apresenta como um obstáculo na busca por nomes, ainda mais em uma posição valorizada como a de 'homem-gol'. Com uma nova postura no mercado e visando acordos que não acarretem em dívidas futuramente, o Glorioso promete uma avaliação ponderada já de olho na disputa da Série B do Campeonato Brasileiro.

Enquanto isso, Rafael Navarro e Matheus Nascimento surgem como opções para a lacuna. Cria da base, Navarro vinha sendo alternativa imediata à ausência de Babi. Já Matheus Nascimento, apontado como uma das grandes joias do clube e xodó da torcida, ainda tenta ter mais oportunidades sob o comando do técnico Marcelo Chamusca.

Mais de dois times contratados no ano passado

Honda, do Botafogo, em duelo com o Vasco, pela Copa do Brasil - Vitor Silva/Botafogo - Vitor Silva/Botafogo
Honda foi uma contratação badalada, mas não conseguiu responder em campo
Imagem: Vitor Silva/Botafogo

Matheus Babi e Pedro Raul acabaram se tornando pontos positivos em meio a, praticamente, mais de dois times contratados em 2020. Dentre as caras novas que chegaram para a última temporada, nomes badalados como o meia japonês Honda e o atacante marfinense Kalou, que tiveram passagens aquém do esperado. O primeiro rescindiu em dezembro e o segundo no início do mês.

Com um grupo que não demonstrou equilíbrio e constantes mudanças de técnico — foram cinco, ao todo —, o Botafogo acabou fazendo uma campanha historicamente negativa no Brasileiro e foi rebaixado antecipadamente. Para este ano, as mudanças no departamento de futebol tiveram reflexos também no elenco, com a adoção de outros critérios para acertos.

Botafogo