PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Como vitória por 31 a 0 trouxe problema para australiano que marcou 13 gols

Archie Thompson, durante a vitória da Austrália sobre Samoa Americana por 31 a 0 - Darren England/Getty Images
Archie Thompson, durante a vitória da Austrália sobre Samoa Americana por 31 a 0 Imagem: Darren England/Getty Images

Brunno Carvalho

Do UOL, em São Paulo

11/04/2021 04h00

Há 20 anos, a carreira do atacante Archie Thompson mudou. Quando a Austrália venceu a Samoa Americana por 31 a 0, em 11 de abril de 2001, pelas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2002, o jogador quebrou o recorde de maior número de gols feitos em uma única partida, ao balançar as redes 13 vezes.

Mas o que poderia ser uma marca boa virou um peso maior do que Thompson poderia carregar. Badalado com o feito conquistado, o atacante foi contratado pelo Lierse, da Bélgica, e precisou de três temporadas para conseguir marcar os mesmos 13 gols que fez em um único jogo com a camisa da Austrália.

"Por um lado, foi ótimo entrar para a história com o recorde, mas, por outro, todo mundo esperava que eu repetisse isso toda semana. Acho que a expectativa que criaram foi um pouco grande demais. Isso me atrapalhou um pouco. Todo mundo chegava e dizia 'esse é o cara que marcou 13 gols', mas não entendia que tínhamos jogado contra crianças que não eram tecnicamente tão boas", relembrou ao jornal australiano "The Sidney Morning Herald".

Jogadores da Austrália conversam durante a vitória por 31 a 0 sobre Samoa Americana - Darren England/Getty Images - Darren England/Getty Images
Jogadores da Austrália conversam durante a vitória por 31 a 0 sobre Samoa Americana
Imagem: Darren England/Getty Images

A afirmação de Thompson não é tão exagerada. A Austrália não enfrentou crianças propriamente dita, mas o time de Samoa Americana era composto por jovens que não frequentavam a lista de convocações da seleção.

A equipe de Samoa Americana teve problemas com passaporte e apenas um jogador com mais de 20 anos participou daquela partida, o goleiro Nicky Salapu. O problema aumentou porque não foi possível convocar atletas da equipe sub-20. Sobraram apenas jogadores jovens como opção, três deles com apenas 15 anos.

Se já se esperava uma goleada australiana, a história se tornou um recorde por tudo que aconteceu. A vitória por 31 a 0 foi a maior já registrada em partidas internacionais. A Austrália e Archie, que tinha apenas duas convocações no currículo, entraram para a história.

Em contato com o UOL Esporte, Thompson classificou o duelo como apenas "mais um na minha carreira", mas admitiu ser bastante reconhecido, principalmente na Austrália, pelo feito histórico. "Foi legal entrar no Livro dos Recordes". Em relação à pressão sofrida por causa do feito, o ex-atacante disse ter conseguido seguir em frente "em pouco tempo".

Archie Thompson ficou quatro temporadas no Lierse, entre 2001 e 2005. A última foi justamente a sua melhor. O atacante marcou 14 gols em 29 jogos antes de voltar para a Austrália. Depois de uma rápida passagem pelo Melbourne Victory, se transferiu por empréstimo para o PSV, da Holanda, o maior clube de sua carreira.

Thompson, aos 27 anos, chegou ao clube holandês para substituir o atacante brasileiro Robert, que havia sido negociado com o Bétis, da Espanha. O desempenho do australiano, no entanto, não convenceu, e o PSV decidiu não exercer o direito de compra e devolver Thompson para o Melbourne Victory.

Ele permaneceu no clube australiano por 10 temporadas. Antes de se aposentar, ainda jogou pelos australianos Heidelberg United, Murray United, Essendon Royals e o Racing Murcia, então na quinta divisão do Campeonato Espanhol.

Futebol