PUBLICIDADE
Topo

Carioca - 2021

Volta Redonda e Botafogo se enfrentam com 'ex' em dose dupla no gol

Andrey, goleiro do Volta Redonda, e Douglas Borges, goleiro do Botafogo - Fotos de André Moreira/VRFC e Vitor Silva/Botafogo
Andrey, goleiro do Volta Redonda, e Douglas Borges, goleiro do Botafogo Imagem: Fotos de André Moreira/VRFC e Vitor Silva/Botafogo

Alexandre Araújo e Bernardo Gentile

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

10/04/2021 04h00

Classificação e Jogos

Volta Redonda e Botafogo se enfrentam hoje (10), pelo Campeonato Carioca, em partida com situação pouco inusitada: a chance da "lei do ex" de goleiro e em dose dupla. Titular do Alvinegro, Douglas Borges já foi destaque do Voltaço, enquanto Andrey, dono da posição na equipe de Neto Colucci, é cria da base do Glorioso. O duelo, no Raulino de Oliveira, começa às 21h05.

Com 19 pontos, o Volta Redonda ocupa a segunda colocação, com a mesma pontuação do líder Flamengo — perde no saldo de gols. Já o Botafogo, com 11 pontos, está na quinta colocação, na briga por vaga na zona de classificação à semifinal.

Reforço do Alvinegro para 2021, Douglas Borges foi anunciado recentemente e chegou com a credencial de ter sido eleito o melhor goleiro da última edição do Estadual do Rio, quando defendeu, justamente, o Volta Redonda. Pelo clube do Sul Fluminense, inclusive, tem quatro passagens, entre 2011 e 2020, e 151 jogos.

Douglas Borges em 2020, pelo Volta Redonda - André Moreira/VRFC - André Moreira/VRFC
Douglas Borges em 2020, pelo Volta Redonda
Imagem: André Moreira/VRFC

"Será uma alegria voltar lá, mas agora defendendo o Botafogo. Vou fazer de tudo para sairmos com os três pontos. A equipe está precisando bastante voltar ao G4. O Botafogo tem de estar lá para buscar a vitória. Respeitando o Voltaço, mas sabemos que o Botafogo tem condições de ir até lá e vencer", disse, em recente entrevista ao site oficial do Alvinegro.

No gol do Voltaço, Andrey, que é cria da base do Glorioso, clube pelo qual se profissionalizou em 2012. À época, porém, com a concorrência de nomes como Jefferson e Renan, as oportunidades foram escassas e, em 2015, se despediu de General Severiano, indo para o Botafogo-SP. Ele não esconde o carinho que guarda até hoje pelo Botafogo, mas admite que gostaria de ter tido mais chances.

Goleiro Andrey em 2015, pelo Botafogo - Vitor Silva / SSPress - Vitor Silva / SSPress
Andrey durante treinamento pelo Botafogo, em 2015
Imagem: Vitor Silva / SSPress

"O Botafogo é um clube que tenho muito carinho e respeito. Só tenho a agradecer ao clube por ter me ajudado na formação como atleta", disse, ao UOL Esporte.

"Não digo que faltou paciência, são coisas do futebol. Mas admito que gostaria de ter tido mais oportunidades. Por ser goleiro e novo, é normal esse cuidado, mas sentia que podia ajudar e crescer no clube. Não julgo o clube, de verdade, mas não posso ser hipócrita de falar que não queria crescer e ter chances. Foram apenas sete partidas no profissional", completou.

Neste período, o camisa 12 do Voltaço esteve ao lado de grandes nomes do futebol brasileiro e mundial, como Jefferson, que chegou à seleção brasileira, e o holandês Seedorf, experiência que ele garante que ficará na memória para o resto da vida.

"Tenho muitas lembranças boas da minha época de base, com títulos, grandes partidas, porém, o que marcou bastante a minha vida foi poder dividir o vestiário com jogadores como Seedorf, Jefferson dentre outros grandes jogadores que vestiram a camisa do Botafogo. Foi uma experiência que vou levar para o resto da minha vida"

'Pedra no sapato' dos grandes

Melhor colocado dentre os clubes de menor investimento, o Volta Redonda é uma das surpresas desta edição do Carioca e está na briga pela liderança com o Flamengo.

"Estamos vivendo um momento muito especial dentro do Estadual. Estamos trabalhando duro para manter essa boa sequência. Temos de nos fortalecer a cada jogo porque ainda teremos desafios difíceis dentro da competição, onde será necessário usar toda experiência adquirida ao longo do campeonato.

Para Andrey, o segredo é acreditar que a equipe é capaz de encarar em pé de igualdade os clubes de grande investimento. Os comandados de Neto Colucci, inclusive, ainda não perderam estes confrontos neste Estadual. Na segunda rodada, o Voltaço venceu o Vasco por 1 a 0 e, na sexta, bateu o Fluminense por 3 a 2 -- encara o Rubro-Negro apenas na última rodada.

"O segredo é muito trabalho. É muito importante cada um acreditar que é capaz de chegar dentro das quatro linhas e brigar de igual para igual com grandes clubes, de maiores investimentos. A cada vitória nossa, a gente não pode deixar subir à cabeça. Temos de saber os nossos limites e seguir em frente com os pés no chão. Esse é um fator que vem nos ajudando muito", indicou o goleiro.

Irmão mais novo segue os passos

Jefferson, Andrew e Andrey, em 2013, no Botafogo - Divulgação Botafogo - Divulgação Botafogo
Jefferson, Andrew e Andrey, em 2013
Imagem: Divulgação Botafogo

Assim como Andrey, Andrew, irmão mais novo, trilha caminho no futebol como goleiro, e também foi criado na base do Botafogo. Aos 19 anos, está integrado ao elenco profissional, onde trabalha ao lado de Gatito, Cavalieri, Douglas Borges e Diego Loureiro, e aguarda oportunidade. O contrato atual vai até o fim deste ano.

O duelo de logo mais, inclusive, vai servir para os irmãos matarem um pouco a saudade, mas, segundo Andrey, quando a bola rolar, será cada um para um lado.

"O Andrew é um menino que, por mais que seja novo, é muito maduro. Sempre reparei que ele é muito observador e isso ajuda demais na nossa evolução profissional. Ele tem uma ótima formação, trabalha com grandes profissionais. Então, em relação a campo, a gente conversa pouco, eu vejo que ele está no caminho certo. Quero aproveitar a oportunidade para poder dar um abraço no meu irmão e matar um pouco da saudade, já que o vejo tão pouco. Amo muito o meu irmão, mas quando o juiz apitar o início do jogo, vai ser cada um defendendo o seu (risos)".

Goleiro Andrew, irmão de Andrey, durante treinamento do Botafogo - Vitor Silva/Botafogo - Vitor Silva/Botafogo
Goleiro Andrew, irmão de Andrey, durante treinamento do Botafogo
Imagem: Vitor Silva/Botafogo

Atual titular do gol alvinegro, Douglas Borges ressaltou a boa relação que tem com os companheiros de posição.

"Uma família à parte. Ficamos muito tempo trabalhando juntos e tem sido muito boa a relação com eles. O Gatito, o Cavalieri, o Diego Loureiro, Andrew e também com o Igo, que está sempre com a gente. Também com o Flavio Tenius e o Herrera, que são caras que nos cobram bastante no dia a dia para termos a mais alta performance nos jogos e treinos. Claro que tem pouco tempo, mas é uma amizade muito boa e temos nos dado muito bem aqui", salientou, ao site oficial.

Nada de ansiedade

Após o adeus ao clube de General Severiano, Andrey teve passagens por Botafogo-SP, Cabofriense, São Bento, Sampaio Corrêa, CRB e Treze, além do Voltaço. Foi na Cabofriense, em 2016, que encarou pela primeira e única vez, até esta noite, o clube onde foi criado.

"Encaro como uma partida normal, claro que tenho gratidão imensa pelo Botafogo, mas entrando em campo penso apenas no Volta Redonda. Não considero uma partida especial por enfrentar meu ex-clube. Criar muitos obstáculos, expectativa, acredito que são fatores que deixam o atleta com nível de ansiedade elevada, o que pode prejudicar o rendimento dentro de campo", ressalta.

FICHA TÉCNICA:

VOLTA REDONDA x BOTAFOGO

Competição: Taça Guanabara - Campeonato Carioca
Local: Raulino de Oliveira, em Volta Redonda (RJ)
Data: 10 de abril de 2021, sábado
Horário: 21h05 (de Brasília)
Árbitro: Grazianni Maciel Rocha
Assistentes: Carlos Henrique Alves de Lima Filho e Ivan Silva Araújo

VOLTA REDONDA:: Andrey; Oliveira, Luan Leite, Heitor, Luiz Paulo; Bruno Barra, Emerson Jr, Luciano Naninho; MV, João Carlos, Alef Manga. Técnico: Neto Colucci

BOTAFOGO: Douglas Borges; Jonathan, Kanu, Gilvan, Rafael Carioca; Luiz Otávio, Matheus Frizzo; Felipe Ferreira, Ricardinho e Marco Antônio; Rafael Navarro. Técnico: Marcelo Chamusca