PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Paulistão: como foi a pausa para Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo

Fernando Moreno/AGIF
Imagem: Fernando Moreno/AGIF

Do UOL, em São Paulo

10/04/2021 04h00

Depois de quase um mês paralisado, o Campeonato Paulista retornará hoje (10). A decisão aconteceu depois da liberação do governo de São Paulo ontem (9), com a volta da região para a fase vermelha do chamado "Plano SP", que detalha as medidas contra a pandemia da covid-19.

Durante esse período, os quatro principais times de São Paulo tiveram atividades distintas. Corinthians e Palmeiras entraram em campo pelo próprio Campeonato Paulista, em rodada realizada no Rio de Janeiro, enquanto o Santos fez dois jogos pela Libertadores. Acompanhando tudo de longe, o São Paulo aproveitou o tempo para reforçar seu elenco.

Confira como foi a pausa para cada um dos quatro times grandes de São Paulo:

Corinthians: jogos no Rio e "vaquinha"

Otero comemora gol do Corinthians contra o Retrô-PE, em Saquerema-RJ, pela segunda fase da Copa do Brasil - Rodrigo Coca / Agência Corinthians - Rodrigo Coca / Agência Corinthians
Imagem: Rodrigo Coca / Agência Corinthians

Ao lado do Palmeiras, o Corinthians foi um dos únicos entre os grandes a entrar em campo pelo Paulistão durante a paralisação. No dia 23 de março, a equipe alvinegra aceitou enfrentar o Mirassol em Volta Redonda, no Rio de Janeiro, e venceu por 1 a 0, gol de Gustavo Mosquito.

O Corinthians ainda entrou em campo outras duas vezes, contra o Salgueiro, em Pernambuco, e Retrô, em Saquarema (RJ), pela Copa do Brasil. Os comandados de Vagner Mancini venceram o primeiro por 3 a 0 e precisaram dos pênaltis para eliminar o outro, na segunda fase do torneio nacional.

O período ainda trouxe uma dor de cabeça para Mancini. Destaque da equipe no início da temporada, o meia Mateus Vital foi retirado do jogo contra o Mirassol e submetido a uma artroscopia no joelho direito. A expectativa é que ele retorne daqui duas semanas.

Fora de campo, o Corinthians ainda tenta lidar com a dívida de quase R$ 1 bilhão. Para ajudar, a Gaviões da Fiel, principal torcida organizada do clube, se reuniu com os dirigentes corintianos para debater a possibilidade de fazer uma "vaquinha" para ajudar o Timão. O projeto ainda está sendo estudado.

Palmeiras: reforço e problemas com Luiz Adriano

Luiz Adriano em ação no jogo entre Palmeiras e Tigres pela semifinal do Mundial de Clubes - Gaston Szermann/DeFodi Images via Getty Images - Gaston Szermann/DeFodi Images via Getty Images
Imagem: Gaston Szermann/DeFodi Images via Getty Images

O Palmeiras se manteve atuante no mercado da bola durante a pausa do Paulistão. Depois de uma longa novela, o clube alviverde desistiu de contratar o atacante Santos Borré, do River Plate. O desgaste com o agente do jogador e a análise financeira sobre o agravamento da pandemia pesaram na decisão de não seguir com a negociação. Ainda em busca de um atacante, o Palmeiras apresentou no fim do mês passado uma proposta por Valentín Castellanos, que atua no New York City, dos Estados Unidos.

Enquanto tenta um nome para o ataque, o clube alviverde apresentou o volante Danilo Barbosa. Ele pertence ao Nice, da França, e chega por empréstimo até o final do ano. Em entrevista ao UOL Esporte, o técnico Abel Ferreira disse que Barbosa havia sido contratado para suprir a saída de Thiago Santos, vendido ao futebol japonês.

Mesmo com a pausa, o Palmeiras entrou em campo pelo Paulistão depois de muita confusão. O jogo contra o São Bento chegou a ser marcado para o dia 16 de março em Belo Horizonte, mas o governo de Minas Gerais proibiu jogos de times de fora do Estado. A Federação Paulista de Futebol, então, realizou o jogo no dia 24, em Volta Redonda, no Rio de Janeiro. As equipes empataram em 1 a 1.

Duas semanas depois, o Palmeiras foi à Argentina enfrentar o Defensa y Justicia, pela Recopa Sul-Americana, e venceu por 2 a 1. A volta está marcada para o dia 14 de abril, em Brasília. Amanhã, também na capital federal, a equipe alviverde enfrentará o Flamengo, na decisão Supercopa do Brasil.

Fora de campo, o Palmeiras precisou lidar com uma crise causada por Luiz Adriano. Diagnosticado com covid-19, o atacante desrespeitou o protocolo de segurança e saiu de casa para levar a mãe ao supermercado e acabou atropelando uma pessoa perto da entrada de um shopping. O clube alviverde anunciou que o jogador será multado.

Santos: patrocínio máster e história na Libertadores

Ângelo, do Santos, se torna jogador mais jovem a fazer um gol na Libertadores na partida contra o San Lorenzo: 16 anos, 3 meses e 16 dias - Divulgação/Santos FC - Divulgação/Santos FC
Imagem: Divulgação/Santos FC

O Santos aproveitou a pausa no Paulistão para aliviar a situação financeira. O clube anunciou, em 26 de março, a SumUp, como patrocinadora máster. O acordo tem duração de 12 meses e renderá R$ 9 milhões aos cofres santistas.

O time ainda passou duas semanas em Atibaia, no interior de São Paulo, treinando depois que a Prefeitura de Santos proibiu a realização de atividades esportivas na cidade, em uma tentativa de controlar a transmissão do coronavírus.

Em campo, o time da Vila Belmiro fez dois jogos pela Libertadores. No primeiro, contra o Deportivo Lara, empatou em 1 a 1 e avançou para a terceira fase da competição - havia vencido o primeiro jogo por 2 a 1. Na última terça-feira (6), o Santos voltou a campo para enfrentar o San Lorenzo. A vitória por 3 a 1 na Argentina entrou para a história, com Ângelo sendo o jogador mais novo a marcar um gol na competição continental, com 16 anos, três meses e 16 dias.

Apesar dos bons resultados dentro de campo, o Santos ganhou uma dor de cabeça para a sequência da temporada. Titular desde a saída de Diego Pituca, o meia Sandry precisou passar por uma cirurgia no ligamento cruzado anterior do joelho direito depois de se machucar em um treinamento em Atibaia. A previsão de retorno é entre seis e nove meses.

Enquanto tenta resolver o problema de poucas peças no meio de campo, o Santos abriu negociações para renovar o contrato de dois jogadores: o meia Carlos Sánchez e o atacante Lucas Braga. As conversas ainda não chegaram em um final feliz.

São Paulo: reforços chegam e Tchê Tchê sai

Martín Benítez, meio-campista do São Paulo - Divulgação/São Paulo FC - Divulgação/São Paulo FC
Imagem: Divulgação/São Paulo FC

Sem entrar em campo desde que o Paulistão foi paralisado, o São Paulo aproveitou o período para reforçar o elenco. Chegaram ao Morumbi os meias William e Martín Benítez, o lateral Orejuela, o zagueiro Miranda e os atacantes Bruno Rodrigues e Éder.

Em contrapartida, o São Paulo acertou a saída do volante Tchê Tchê. Ele foi emprestado ao Atlético-MG com a possível compra fixada em R$ 23,4 milhões. A equipe do Morumbi estima economizar R$ 6 milhões por ano com a saída do jogador.

O São Paulo também se reforçou nas categorias de base. Aposentado, o ex-meia Alex, que fez história no Palmeiras, foi contratado para ser o treinador do time sub-20 tricolor. Ele foi apresentado no dia 5 de março.

Fora de campo, Muricy Ramalho, coordenador técnico da equipe, se envolveu em uma confusão por causa das restrições causadas pela pandemia. O ex-treinador caminhava na praia de Riviera de São Lourenço, no litoral de São Paulo, quando foi abordado por um fiscal da Guarda Municipal de Bertioga. Incomodado, Muricy chegou a discutir com ele antes de deixar o local.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do informado, o Corinthians enfrentou o Salgueiro em Pernambuco, não no Rio de Janeiro.
Ao contrário do que foi publicado, Bruno Rodrigues, reforço do São Paulo, é atacante, e não zagueiro. O erro foi corrigido.

Futebol