PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Advogado do Inter diz que não cabe à Fifa julgar dívida com empresário

Jorge Machado cobra dívida na Fifa e advogado do Inter entende que não sabe à entidade - Divulgação/SC Internacional
Jorge Machado cobra dívida na Fifa e advogado do Inter entende que não sabe à entidade Imagem: Divulgação/SC Internacional

Do UOL, em Porto Alegre

10/04/2021 14h52

O advogado Daniel Cravo, que representa o Internacional em diversos casos, se manifestou sobre a cobrança de uma dívida feita pelo empresário Jorge Machado ao clube na Fifa. Segundo ele, não cabe à entidade julgar tal situação.

Em seu perfil no Twitter, Cravo afirmou que desde a mudança no regulamento sobre intermediações em negócios, em 2015, a entidade deixou de jurisdicionar sobre cobranças e comissões.

"Este cenário somente pode mudar a partir do ano que vem, quando provavelmente entrará em vigor o novo regulamento (sobre agentes). Portanto, tenho dúvidas sobre a acuidade da declaração feita por Jorge Machado. Hoje a Fifa não tem competência para tratar do tema", postou Cravo.

"Neste contexto, se poderia cogitar da existência de equívoco na escolha da via eleita (se efetivamente ajuizou na FIFA) ou na referência à via (se ajuizou em outra jurisdição). Não aposto em qualquer delas. A intenção foi apenas e tão somente criar manchete e pressionar o Inter", completou.

Segundo informado ontem pelo UOL Esporte, o empresário Jorge Machado protocolou ação em que cobra valores atrasados por parte do clube gaúcho. De acordo com o agente, as cifras são de comissões por negociações realizadas e que foram centro de duas renegociações. Em ambas, o Inter estava inadimplente.

A dívida é de, pelo menos, R$ 5 milhões — somando valores devidos e projeção de juros.

O empresário revelou que são pelo menos 18 parcelas atrasadas. Ele disse que a forma como a inadimplência tem sido tratada no dia a dia foi decisiva para a ação.

"Fiz dois acordos e o clube não cumpriu", disse Jorge Machado ao UOL Esporte. "Nunca processei nenhum time, em momento algum, e tenho histórico e negócios com o Inter. Mas tentei, tentei e não houve acordo. Fiz (protocolo na Fifa) pela falta de respeito", completou.

Internacional