PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Técnico do Del Valle diz que chorou com Brasil em 82: "dava prazer"

Renato Paiva, técnico do Independiente del Valle - Divulgação/Independiente del Valle
Renato Paiva, técnico do Independiente del Valle Imagem: Divulgação/Independiente del Valle

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

09/04/2021 04h00

Renato Paiva, treinador do Independiente Del Valle-EQU, nunca viveu no Brasil, não tem parentes no país, mas garante que chorou por causa da seleção brasileira. O português, que assumiu o time equatoriano em dezembro, lembra de ter se emocionado com a derrota para a Itália e a consequente eliminação do histórico time comandado por Telê Santana, na Copa do Mundo de 1982, na Espanha. Hoje (9), Paiva encara o primeiro time brasileiro à frente do Del Valle: o Grêmio, em duelo da terceira fase preliminar da Copa Libertadores.

Independiente Del Valle e Grêmio jogam às 19h15 (horário de Brasília), no estádio Defensores del Chaco, em Assunção. A partida deveria ter ocorrido na quarta-feira (7), em Quito, mas foi adiada e transferida para a capital paraguaia após autoridades sanitárias do Equador vetarem um treino gremista e o jogo em si.

"A primeira vez que chorei por futebol foi em Brasil e Itália, em 1982. Eu tinha 14 anos e já tinha algumas ideias de futebol. Eu não gostava da Itália, não me dava prazer de ver eles jogarem, e o Brasil me dava prazer", disse Renato Paiva em entrevista ao Footure.

Com a carreira toda construída nas categorias de base do Benfica, o português de 51 anos foi escolhido pelos dirigentes equatorianos para substituir Miguel Ángel Ramírez, agora no Internacional.

"Em 82, tive meu primeiro boom de prazer com o futebol. Eu estava deliciado com o Brasil, tinha certeza que ia ser campeão. Chorei muito e chorei muito em 84, quando Portugal foi eliminado da Euro", contou.

No Del Valle, Paiva mantém o modelo que fez o Independiente Del Valle se tornar uma espécie de clube sensação no futebol sul-americano. Com jogo ofensivo, baseado no conceito denominado 'jogo de posição' e que tenta construir jogadas até mesmo com o goleiro.

O UOL Esporte mostrou que Renato Paiva buscou dicas sobre como enfrentar o Grêmio. O contato foi feito com Abel Ferreira, treinador do Palmeiras. Apesar de serem compatriotas, Abel e Renato não trabalharam juntos. O elo que gerou a ligação foi a final da Copa do Brasil, onde o time paulista conseguiu duas vitórias diante da equipe comandada por Renato Portaluppi.

"Não espero que o Grêmio venha a nos pressionar. Acredito que eles joguem para administrar o confronto", comentou Paiva, em entrevista coletiva antes do jogo desta sexta-feira.

Futebol