PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Inter: empresário entra com ação na Fifa e cobra dívida após renegociação

Liamara Polli-Pool/Getty Images
Imagem: Liamara Polli-Pool/Getty Images

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

09/04/2021 16h15

O Internacional vai responder processo na Fifa por dívida. Hoje (9), o empresário Jorge Machado protocolou ação em que cobra valores atrasados por parte do clube gaúcho. Segundo o agente, as cifras são de comissões por negociações realizadas e que foram centro de duas renegociações. Em ambas, o Inter estava inadimplente.

A dívida é de, pelo menos, R$ 5 milhões — somando valores devidos e projeção de juros.

De acordo com Machado, são pelo menos 18 parcelas atrasadas. O empresário considera que a forma como a inadimplência tem sido tratada no dia a dia foi decisiva para a ação.

"Fiz dois acordos e o clube não cumpriu", disse Jorge Machado ao UOL Esporte. "Nunca processei nenhum time, em momento algum, e tenho histórico e negócios com o Inter. Mas tentei, tentei e não houve acordo. Fiz (protocolo na Fifa) pela falta de respeito", completou.

Nas redes sociais, o agente citou o CEO Giovane Zanardo. De acordo com Machado, as tratativas arrastadas com o profissional incomodaram.

"Me doeu muito mas em respeito a minha profissão e a todos os agentes que trabalham seriamente no futebol me vi obrigado após inúmeras tentativas de acerto junto ao atual CEO do clube que na gestão passada já era financeiro, ingressar com essa ação contra o clube que fez parte das grandes histórias da minha carreira onde inclusive tive o prazer de jogar nos anos 80. São anos de parceria onde sempre representei inúmeros jogadores que sempre honraram a camisa desse clube. Essa parceria que nesse momento através do atual CEO do clube foi desprezada o que me deixa muito triste", escreveu Jorge Machado.

Oficialmente, o Inter não comentou a ação na Fifa. Mas a diretoria não gostou da medida.

"São problemas antigos, quitações de negócios antigos, mas a gente espera regularizar essa situação. O que me surpreende é que este empresário esteve aqui no Beira-Rio há poucos dias, não falou nada sobre ir à Fifa. Mas ok, faz parte. Ele tem direito de buscar algo devido. Assim como o clube tem todo direito de escolher com que empresário quer trabalhar", respondeu João Patrício Hermann, vice-presidente de futebol do Inter, em entrevista à Rádio Grenal.

A cobrança na Fifa é o mais recente capítulo em novela dramática no tocante às finanças do Inter. O clube teve o maior prejuízo da própria história em 2020, com mais de R$ 80 milhões de déficit nas contas. Dias atrás, recebeu visita de André Cury, empresário, que também cobrou valores atrasados. E por falta de recursos, botou o pé no freio na busca por reforços.

Futebol