PUBLICIDADE
Topo

Futebol

FMF mantém Cruzeiro x Atlético-MG e rodada do Mineiro após polêmica

Campeonato Mineiro segue normalmente, pelo menos por enquanto, mesmo com alta nos números da covid-19 no Brasil - Divulgação/FMF
Campeonato Mineiro segue normalmente, pelo menos por enquanto, mesmo com alta nos números da covid-19 no Brasil Imagem: Divulgação/FMF

Do UOL, em Belo Horizonte

09/04/2021 20h10

Classificação e Jogos

O clássico Cruzeiro x Atlético-MG e toda a nona rodada do Campeonato Mineiro serão realizados conforme marcação prévia pela Federação Mineira de Futebol (FMF). A decisão foi tomada após o início de uma polêmica já que órgãos estaduais e federais tentaram impedir que o torneio regional tivesse sequência devido ao agravamento da pandemia de covid em Minas Gerais.

O presidente da FMF, Adriano Aro, se mostrou surpreso com a tentativa de paralisação da disputa. "Confesso que nós recebemos com muita surpresa esse comunicado, uma vez que a Federação sempre buscou o diálogo com todas as autoridades, com todos os envolvidos e todos os órgãos técnicos. A federação sempre seguiu as determinações legais", ressaltou em entrevista à Rádio Itatiaia.

Um ofício assinado pelo Ministério Público do Trabalho de Minas Gerais (MPT-MG), os Ministérios Públicos Federal (MPF) e o do Estado de Minas Gerais (MPMG), junto da Defensoria Pública da União (DPU), recomendava à Secretaria Estadual de Saúde mineira (SES) a paralisação do estadual. O prazo para que essa definição fosse tomada era de 48 horas.

De acordo com os órgãos, a "recomendação foi expedida em razão dos níveis alarmantes de disseminação da COVID-19 nas últimas semanas, que provocaram um aumento da média móvel de mortes diárias pela doença e levaram à decretação de medidas restritivas às atividades não essenciais em diversos estados brasileiros (...) os jogos de competições nacionais, regionais ou estaduais só devem ser retomados quando a situação epidemiológica permitir", disseram em nota conjunta.

"A Federação Mineira esteve em constante diálogo com o COES (Centro de Operações de Emergência em Saúde), que é o comitê extraordinário para o combate à pandemia. Comitê esse que, inclusive, tem o assento do Ministério Público Estadual. Quando a federação teve uma sinalização positiva lá atrás do comitê (em reunião em junho de 2020) de que poderia seguir com as partidas executando o protocolo sanitário, a FMF acreditava que contava com o aval não apenas do governo do estado, mas também do próprio Ministério Público", completou Adriano Aro.

Tentativa de paralisação

O argumento das entidades que pediram a suspensão do Campeonato Mineiro estava balizado em casos de covid-19 entre atletas e comissões técnicas durante a Série A do Campeonato Brasileiro do ano passado. Além dos surtos da doença identificados em alguns clubes nacionais, que na visão dos órgãos "indicam "insuficiência dos protocolos e medidas adotadas pela CBF e pelas Federações para evitar o contágio dos profissionais envolvidos na competição".

O presidente da FMF deseja ter acesso ao relatório apresentado pelos órgãos estaduais e federais.

"Precisamos ter acesso a esse documento que embasa a manifestação do Ministério Público justamente para averiguar se há alguma informação nova, se há dados divergentes que apontem para outra conduta que a ser adotada neste caso. A Federação Mineira tem todo o interesse em ter acesso a esse material para que ela possa, de maneira consciente e prudente, adotar aquela decisão que seja a melhor para o futebol e toda a sociedade", justificou.

Os Ministérios Públicos e a Defensoria Pública da União citam no ofício que o descumprimento de normas poderia acarretar em providências administrativas e até judiciais contra os que não tomassem medidas contra os dados apresentados. "Existem vários fatores envolvidos, além da questão sanitária. Temos uma questão logística, de calendário e a financeira dos clubes que não suportam mais essas inúmeras paralisações", comunicou Adriano Aro.

Futebol