PUBLICIDADE
Topo

Futebol

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Rocha: "Espera-se um Palmeiras cauteloso contra um Fla intenso"

Do UOL, em São Paulo

06/04/2021 11h00

Classificação e Jogos

No próximo domingo (11), Flamengo e Palmeiras disputam o título da Supercopa do Brasil. Na partida, que será realizada às 11h no estádio Mané Garrincha, em Brasília, o Fla chega motivado pela goleada por 5 a 1 sobre o Madureira, pelo Carioca. Já o clube alviverde volta a disputar um jogo oficial nesta quarta (7), quando enfrenta o Defensa y Justicia pela Recopa Sul-Americana. Há algum favorito?

No Fim de Papo, live pós-rodada do UOL Esporte - com os jornalistas Luiza Oliveira, Milly Lacombe, Rodrigo Mattos e André Rocha - a decisão da Supercopa do Brasil foi analisada. Os comentaristas fizeram algumas projeções para a partida e discutiram se a parada do Paulistão será prejudicial ao Palmeiras.

Para Rocha, o horário da partida pode ter influência. "O jogo às 11h muda um pouco o contexto. Espera-se um Palmeiras com menos ritmo e um pouco mais cauteloso. É um time homogêneo. O Flamengo começou com intensidade louca. Deve tentar fazer um gol logo de cara, com o Palmeiras tentando sair em velocidade. Nada impede que Palmeiras saia para apertar a saída de bola e criar dificuldade, mas acho improvável", analisou.

"O Palmeiras tem a desvantagem de não estar jogando. O Flamengo deve começar com intensidade, que é desorientadora para o adversário. É uma prática de guerra, mas o Palmeiras não deve se desorientar tanto. Se eu fosse o Abel Ferreira, o que poderia fazer contra um Flamengo tão intenso? Jogar no contra-ataque é uma opção, ou então tentar espelhar o estilo de jogo do Flamengo e partir para cima", avaliou Milly.

Mattos citou a intensa movimentação exibida contra o Madureira, mas acredita que o Flamengo deva ser um pouco mais cuidadoso no domingo. "Há uma lógica e uma sincronia nessa intensidade de jogo. Isso independe do adversário. Se vai jogar assim contra o Palmeiras é outra questão. Não é o normal do Rogério Ceni se expor. Contra o Palmeiras ele será ofensivo, mas não deve se expor tanto. É provável que entre muito intenso por 20, 25 minutos e baixe o ritmo um pouco", concluiu.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Futebol