PUBLICIDADE
Topo

Santos

Ariel Holan nunca venceu o San Lorenzo, rival do Santos na Libertadores

Ariel Holan, técnico do Santos, no jogo contra o Ituano - Ivan Storti/Santos FC
Ariel Holan, técnico do Santos, no jogo contra o Ituano Imagem: Ivan Storti/Santos FC

Eder Traskini

Do UOL, em Santos (SP)

06/04/2021 04h00

O argentino Ariel Holan, técnico do Santos, nunca venceu o San Lorenzo, adversário do Peixe na noite de hoje (6) pela terceira fase preliminar da Copa Libertadores da América. O atual treinador santista iniciou carreira no futebol argentino e passou por Defensa y Justicia e Independiente.

Holan enfrentou os ciclones, apelido do San Lorenzo, em três oportunidades, com duas derrotas e um empate. O primeiro encontro foi em 2016, quando seu Defensa y Justicia perdeu por 2 a 0 dentro de casa. Dois anos depois, nova derrota em seus domínios já comandando o Independiente: 1 a 0.

O último duelo ocorreu em 2019, a única vez em que Holan visitou o Nuevo Gasómetro, casa do San Lorenzo. O Independiente do treinador argentino ficou no empate sem gols com os ciclones.

Este será o quinto jogo da história entre Santos e San Lorenzo. O retrospecto é equilibrado, mas pende para o lado santista: são duas vitórias do Peixe, um empate e uma derrota. Os argentinos, entretanto, eliminaram o clube da Vila Belmiro da Copa Sul-Americana de 2006.

O primeiro encontro aconteceu em 1954, empate por 3 a 3 em amistoso na Argentina. Os clubes voltaram a se enfrentar em 1977, quando o Santos venceu o amistoso por 1 a 0, gol do histórico atacante Juary. Depois, os dois duelos de 2006 pela competição continental: 3 a 0 para os argentinos, em Buenos Aires, e 1 a 0 para o Peixe em território brasileiro.

FICHA TÉCNICA:

SAN LORENZO x SANTOS

Competição: terceira fase preliminar da Copa Libertadores
Data: 06/04/2020 (terça-feira)
Horário: 21h30 (de Brasília)
Local: estádio Pedro Bidegain, Nuevo Gasómetro
Árbitro: Wilmar Roldán (Colômbia)
Assistentes: Miguel Roldán (Colômbia) e Sebastian Vela (Colômbia)

SAN LORENZO: Devecchi; Herrera, Donatti, Braghieri e Pitton; Palacios, Rodriguez e Ramírez; Angel Romero, Di Santo e Troyansky. Técnico: Diego Dabove.

SANTOS: João Paulo; Pará, Kaiky, Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison, Vinicius Balieiro e Gabriel Pirani (Jean Mota); Marinho, Lucas Braga (Ângelo ou Soteldo) e Marcos Leonardo. Técnico: Ariel Holan

Santos