PUBLICIDADE
Topo

Cruzeiro

Organizada protesta na porta de CT do Cruzeiro na semana do clássico

Membros da Máfia Azul foram ao CT do Cruzeiro protestar contra o momento ruim do time - Reprodução
Membros da Máfia Azul foram ao CT do Cruzeiro protestar contra o momento ruim do time Imagem: Reprodução

Do UOL, em Belo Horizonte

05/04/2021 18h26

Classificação e Jogos

A realidade do Cruzeiro, que em 2021 jogará novamente a Segunda Divisão do Brasileirão, que passa por grandes dificuldades financeiras — salários atrasados — e também vive crise dentro de campo no Campeonato Mineiro não tem sido fácil. Insatisfeitos com o momento atual do clube, membros de torcidas organizadas estiveram na porta da Toca da Raposa II, centro de treinamento celeste, e cobraram melhor desempenho dos jogadores. A manifestação acontece na semana do clássico contra o Atlético-MG, marcado para o próximo domingo (11), às 16h, no Mineirão, pela nona rodada do estadual.

Dezenas de torcedores, mesmo em um momento crítico da pandemia em Minas Gerais, estiveram no CT e xingaram, gritaram e fizeram cobranças a alguns atletas que pararam para ouvir o que os torcedores tinham para dizer.

"Para nós o que vale é a vida, tá ligado? Neste ano é o nosso centenário, nós aqui todo mundo briga, viaja o Brasil todo, somos Cruzeiro. Você está aqui neste ano, pode sair ano que vem, mas enquanto estiver aqui, joga com amor essa porra (sic)", bradou um dos presentes em bate-papo com o meia Marcinho, ex-Sampaio Corrêa, e que chegou ao clube neste ano.

A manifestação foi acompanhada por policiais militares e pelos seguranças do Cruzeiro que ficaram no meio dos manifestantes tentando conter o ímpeto dos torcedores. Em determinado momento da confusão os torcedores criticaram os seguranças do clube: "Nem recebendo vocês estão", disseram alguns em referência ao salário atrasado no clube.

No momento em que cada carro dos atletas deixava o centro de treinamento, cobrançaas eram feitas, com torcedores apontando o dedo, batendo nos carros, pedindo para que os atletas abaixassem o vidro para conversarem.

Queima do Judas

No último sábado também houve manifestação, mas na porta do prédio onde o Cruzeiro, por anos, manteve sua sede administrativa. No Barro Preto, bairro da região Centro-Sul de Belo Horizonte, torcedores queimaram um boneco com o rosto do presidente Sérgio Santos Rodrigues. Em um vídeo que circulou nas redes sociais um homem dizia que era a "queima do Judas", em referência ao fato bíblico da morte do traidor de Jesus Cristo.

Cruzeiro