PUBLICIDADE
Topo

Carioca - 2021

Artilheiros marcam, mas Fluminense e Vasco ficam só no empate pelo Carioca

Fluminense e Vasco ficaram no empate em clássico pelo Campeonato Carioca - Lucas Merçon/Fluminense FC
Fluminense e Vasco ficaram no empate em clássico pelo Campeonato Carioca Imagem: Lucas Merçon/Fluminense FC

Caio Blois e Bruno Braz

Do UOL, no Rio de Janeiro

30/03/2021 23h31

Classificação e Jogos

Em jogo muito aberto em Volta Redonda, Fluminense e Vasco tentaram, mas ficaram no empate por 1 a 1 no Campeonato Carioca. Os artilheiros Germán Cano e Fred marcaram os gols do jogo.

O empate foi ruim para os dois times. Ainda que tenha voltado temporariamente ao G4, o Flu, que chegou a 10 pontos, pode ser ultrapassado até o fim da rodada e seguir fora da zona de classificação. Já o Cruzmaltino, com 7, segue ameaçado na parte de baixo da tabela, e talvez até volte à zona de rebaixamento a depender dos resultados.

Fred marca mais um e é o melhor do Flu

A temporada 2021 começou boa para Fred. O atacante fez bom jogo, marcou mais um gol --o terceiro em dois jogos--, seu 180º gol com a camisa do Fluminense encostando na vice-artilharia histórica

Incansável, Gabriel Pec é o melhor do Vasco

Principal destaque do Vasco neste início de temporada, Gabriel Pec novamente fez uma boa partida. Desta vez, não tanto pela parte ofensiva, mas ajudando bastante na marcação, o meia se movimentou bastante e apareceu em todos os lados do campo. O jovem quase deixou o seu aos 36 do segundo tempo, em contra-ataque perigoso do Cruzmaltino.

Pior do Flu, Lucca irrita e deixa o jogo no intervalo

Em que pese a má atuação coletiva do Fluminense na primeira etapa, um jogador foi o destaque negativo: Lucca. O camisa 7 errou quase tudo o que tentou em campo mais uma vez e deixou a partida já no intervalo para a entrada de Gabriel Teixeira —o que por si só melhorou o time de Roger Machado. A insistência em sua titularidade segue injustificável dadas as suas constantes más atuações.

Pior do Vasco, Miranda falha no gol de Fred

Zagueiro revelado na base, Miranda falhou no gol de Fred. O jovem deixou o experiente artilheiro subir e cabecear com facilidade. O defensor tem demonstrado dificuldades na bola aérea nesta temporada.

Jogo começa truncado

O clássico no Raulino de Oliveira começou em ritmo lento. Apesar de tentarem impor intensidade à partida desde o início, as equipes erravam muitos passes e não conseguiam construir jogadas. Tanto que a melhor chance do começo de jogo veio com Nenê, que quase marcou um gol olímpico em cobrança de escanteio. A bola parada parecia a saída para a falta de criatividade, mas nem isso funcionou.

Tricolor tem mais posse, mas não agride

Superior tecnicamente, o Fluminense teve mais a bola e tentou abrir espaços na defesa do Vasco com trocas de passe no meio campo. Os ajustes de Roger Machado, entretanto, não se mostraram corretos, uma vez que os pontas, mesmo mais centralizados, criaram pouquíssimo, e ainda tiraram Nenê, finalizador perigoso, de perto do gol. O camisa 77 acabou recuado do lado esquerdo do meio. Assim, Fred acabou isolado na frente, e errou bastante em alguns momentos, apesar de buscar jogo. Sem poder de fogo, o Flu não finalizou ao gol e a cobrança chegou.

Vasco abre o placar com Cano

Mesmo sem ter muito a posse de bola, o Vasco saiu na frente no placar. Mais objetivo e veloz que o Tricolor, o Cruzmaltino se aproveitou dos muitos espaços abertos pelo time de Roger para chegar ao seu gol. Aos 35, Bruno Gomes inverteu para Léo Matos, que adiantou para Andrey bater cruzado e Germán Cano desviar para as redes.

Cano aproveita chance e abre o placar para o Vasco sobre o Flu

Flu empata com Fred

Logo no primeiro minuto do segundo tempo e já com Gabriel Teixeira na vaga do inoperante Lucca, o Fluminense empatou o jogo com sua especialidade: a bola parada. Nenê cobrou escanteio na cabeça de Fred, que subiu mais que Miranda para acertar o ângulo e igualar o placar em Volta Redonda. O gol foi o 180º do ídolo com a camisa do clube, se aproximando da vice-artilharia histórica do Flu.

Fred marca para o Fluminense e empata clássico contra o Vasco

Tricolor melhora no jogo

A única mexida de Roger Machado fez o Flu melhorar no início do segundo tempo. Além do gol que devolveu a igualdade ao placar, o Tricolor adiantou a marcação no campo do Vasco, recuperou muitas bolas e por pouco não virou o jogo com o próprio Fred, que desperdiçou chance clara após roubada de Luiz Henrique. A entrada de Gabriel Teixeira melhorou o ataque e deixou o time mais perigoso. Aos 15, ele bateu forte de fora da área e acertou a rede de Lucão pelo lado de fora.

Vasco sente gol, recua e obriga Cabo a mexer

A melhora do Flu também teve um pouco de recuo do Vasco, que começou o segundo tempo mais sonolento. Do meio para a frente, Carlinhos não funcionou nem como um segundo atacante e nem como armador. Já o jovem Galarza não repetiu suas grandes atuações, mas, ainda assim, fez boa dupla com Pec à frente de Bruno Gomes e Andrey, ambos lentos para a intensidade do jogo. Assim, Marcelo Cabo se viu obrigado a mexer e lançou mão de Figueiredo e Laranjeira. Logo no primeiro lance da dupla, aos 18, perigo: Figueiredo subiu nas costas de Nino e quase fez Marcos Felipe soltar nos pés de Cano.

Flu cansa, e Vasco cresce no jogo

Em um jogo muito aberto, o Tricolor também teve seu momento ruim na segunda etapa: depois das mexidas de Cabo, o Flu pareceu cansado com a constante correria do Vasco do meio para a frente. Aos 29, o Cruzmaltino teve grande chance em cobrança de falta: Andrey pegou na veia e explodiu a trave de Marcos Felipe. Depois, o volante novamente assustou na bola parada, aos 33. A melhor chance, entretanto, viria três minutos depois: a equipe acertou contra-ataque até a bola chegar em Gabriel Pec, que bateu cruzado, mas parou em grande defesa do goleiro do Fluminense.

Kayky coloca fogo no jogo, mas Flu finaliza pouco

O Flu só teve fôlego quando Roger sacou Luiz Henrique para a entrada do jovem Kayky, de 17 anos. A joia de Xerém entrou com todo o gás pela ponta direita e fez um salseiro por ali. O problema é que o Fluminense seguiu pecando demais no último passe e finalizando muito pouco.

Vasco desperdiça chances nos acréscimos

Com a entrada dos jovens dos dois lados, a partida ganhou em correria e espaços abertos. O Vasco teve a chance de decidir o jogo aos 45 com Germán Cano: o argentino aproveitou falha de posicionamento da zaga e recebeu cruzamento perfeito de Léo Matos, mas parou em grande defesa de Marcos Felipe. Na sequência, em cobrança de escanteio, Ricardo Graça subiu mais que a zaga adversário e tirou tinta do gol tricolor em cabeçada.

FLUMINENSE 1 x 1 VASCO

Local: Estádio da Cidadania, em Volta Redonda (RJ)
Hora: 21h35 (horário de Brasília)
Árbitro: Diego da Silva Lourenço
Assistentes: Luiz Claudio Regazone e Wallace Muller Barros Santos
Cartões amarelos: Frazan, Gabriel Teixeira (FLU); Germán Cano (VAS)
Cartões vermelhos: Nenhum
Gols: Germán Cano, aos 36 minutos do primeiro tempo (VAS); Fred, a 1 minuto do segundo tempo (FLU)

Fluminense: Marcos Felipe; Calegari, Nino, Frazan e Egídio; Martinelli, Yago Felipe, Nenê (Ganso); Luiz Henrique (Kayky), Fred (John Kennedy) e Lucca (Gabriel Teixeira). Técnico: Roger Machado.

Vasco: Lucão; Léo Matos, Miranda (Ricardo Graça), Leandro Castan e Zeca; Bruno Gomes (Figueiredo), Andrey, Matías Galarza e Carlinhos (Laranjeira); Gabriel Pec (Juninho) e Germán Cano. Técnico: Marcelo Cabo.