PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Como Ibra largou aposentadoria e voltou a defender a Suécia após 5 anos

Ibrahimovic comemora assistência em seu retorno à seleção da Suécia  - Janerik HENRIKSSON / TT NEWS AGENCY / AFP
Ibrahimovic comemora assistência em seu retorno à seleção da Suécia Imagem: Janerik HENRIKSSON / TT NEWS AGENCY / AFP

Do UOL, em São Paulo

26/03/2021 04h00

Classificação e Jogos

A vitória por 1 a 0 da Suécia contra a Geórgia na rodada de abertura das Eliminatórias Europeias para a Copa do Mundo de 2022 contou com uma presença especial: Zlatan Ibrahimovic. Isso porque o astro sueco voltou a defender a seleção de seu país após cinco anos.

A longa ausência tem explicação. Ibra havia se aposentado da seleção sueca em 2016, logo depois da disputa da Eurocopa. A "separação" durou até a tarde da última quinta-feira (25).

É bem verdade que Ibrahimovic já vinha sinalizando o desejo de voltar a jogar pela Suécia há algum tempo. Em 2018, quando a seleção alcançou vaga para a disputa da Copa do Mundo na Rússia, o atacante manifestou diversas vezes a vontade de ser novamente convocado. Naquela ocasião, porém, o técnico Janne Andersson optou por deixá-lo fora do Mundial.

Mas, desta vez, a situação era outra. Ibra, aos 39 anos, ganhou nova oportunidade de vestir a camisa da seleção. Não por acaso. Apesar da idade avançada, o craque tem atuado em alto nível desde que deixou o futebol dos Estados Unidos para retornar ao Milan, no início de 2020. Na atual temporada, foram 15 gols em 15 jogos pelo Campeonato Italiano e boas atuações que fizeram o time rossonero liderar por um bom tempo a competição —atualmente, a equipe está na segunda posição.

A boa fase, claro, não passaria despercebida pelos fãs de seu país. Os torcedores fizeram coro para o retorno do astro e, após conversas com a federação sueca, Ibrahimovic, enfim, acertou o seu retorno ao time. Foi a primeira vez que foi convocado por Janne Andersson.

O curioso é que Andersson havia sido alvo direto de Ibra nos últimos anos. Em mais de uma oportunidade, o craque usou as redes sociais para alfinetar o treinador. Em setembro do ano passado, por exemplo, ele compartilhou um link com declarações do técnico em entrevista coletiva após partida contra a França e disse que "pessoas incompetentes nas posições erradas sufocam o futebol sueco".

Se havia algum atrito entre os dois, no entanto, é coisa do passado. Ibra voltou, sim, à seleção e foi titular na tarde de ontem. E o astro justificou a aposta com a assistência para o gol que definiu a vitória sueca. Ele deixou o campo somente aos 39 minutos da etapa final.

Choro em coletiva

Antes da partida, uma cena rara: Ibrahimovic deixou de lado a personalidade egocêntrica e se emocionou durante a entrevista coletiva. O jogador chorou ao ser questionado sobre a reação de sua família antes de sua viagem à Suécia.

"Vincent [filho caçula de Ibra] chorou quando eu o deixei. Mas agora ele está bem", disse. Ele não conteve as lágrimas na sequência.

Além disso, Ibra também falou que esperava contribuir em seu novo capítulo com a seleção.

"Eu não estou aqui pelo meu nome, mas porque mereço. Tudo o que fiz antes não importa. Eu me sinto bem, quero estar envolvido e sinto que posso contribuir. Sou só uma peça do quebra-cabeça. Quero colocar minha experiência à disposição e prometo ao técnico que serei decisivo, mas tenho que provar isso em campo", destacou.

Após a vitória na estreia, a Suécia volta a campo no próximo domingo (28) contra a seleção de Kosovo, pela segunda rodada das Eliminatórias. Ibra, ao que tudo indica, estará em campo novamente.

Esporte