PUBLICIDADE
Topo

São Paulo

William, reforço do São Paulo, teve duas paradas cardíacas e ajuda de Elias

William, na época em que jogava no Toluca - Hector Vivas/Getty Images
William, na época em que jogava no Toluca Imagem: Hector Vivas/Getty Images

Do UOL, em São Paulo

16/03/2021 12h06Atualizada em 16/03/2021 13h43

Novo reforço do São Paulo, o meia William teve sua passagem pelo rival Palmeiras marcada pelos problemas cardíacos que superou para seguir a carreira no futebol. Na época em que estava nas categorias de base do clube alviverde, ele descobriu que tinha um bloqueio do ramo esquerdo, que é a interrupção parcial ou completa do pulso elétrico no lado esquerdo do coração, e sofreu duas paradas cardíacas.

"Eu tinha 16 anos, e com 16 para 17 anos você não entende muita coisa, só quer saber se pode jogar ou não, se o coração está funcionando bem ou mal", relembrou ao UOL Esporte, em 2016. "Foi algo bem difícil para mim, eu fiquei depressivo na época, perdi 9 kg. O respaldo e o cuidado que o Palmeiras me deu foi muito importante, me levaram nos melhores médicos do país, procuraram ajuda nos Estados Unidos".

Durante o tratamento, William sofreu as duas paradas cardíacas. Enquanto se recuperava, o meia contou com a ajuda de Elias, que marcou época no Corinthians. Naquele período, os dois atuavam juntos nas categorias de base do Palmeiras.

"O pai dele era muito amigo do meu avô e me levou ao médico Nabil Ghorayeb. Ele explicou o que eu tinha e me acompanhou durante todo o processo. No final de tudo, foram dois anos indo ao hospital a cada dois meses com o meu avô, e graças a Deus as coisas começaram a caminhar".

A via crucis de William se encerrou em 2006, depois de mais de dois anos sem jogar. Recuperado dos problemas cardíacos, o meia ganhou espaço com Tite, que na época comandava o Palmeiras. Em seu primeiro jogo, acabou expulso no começo do segundo tempo. "Eu entrei no jogo e fiz uma falta forte e depois acabei sendo expulso. O Tite entendeu, ele sabia da minha ansiedade, da minha situação. Ele é muito gente. E aí eu comecei a me firmar um pouco mais com o Caio Júnior".

Na temporada 2006, William ainda fez outras sete partidas com a camisa do Palmeiras, todas vindo do banco de reservas. No ano seguinte, já sob o comando de Caio Júnior, foram 19 partidas, sendo quatro como titular.

Antes de encerrar seu contrato com o Palmeiras em 2012, William foi emprestado para Ipatinga, Náutico, Vitória, Goiás, Atlético-GO, Náutico e Joinville. Liberado pelo Palmeiras, foi para a Coreia do Sul, onde jogou no Busan IPark, em 2013. Na sequência, iniciou a vida no México: passou por Querétaro, América e Toluca, sua última equipe antes do acerto com o São Paulo.

São Paulo