PUBLICIDADE
Topo

Futebol

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Klein: "Acho difícil desbancar hegemonia de Palmeiras e Flamengo"

Do UOL, em São Paulo

09/03/2021 04h00

Palmeiras e Flamengo mais uma vez terminaram a temporada como protagonistas no futebol brasileiro. A conquista de títulos importantes, a força financeira e elencos competitivos dos dois deixa uma questão no ar: é possível dizer que ambos já exercem uma hegemonia?

No Fim de Papo, live pós-rodada do UOL Esporte - com os jornalistas Isabela Labate, Alícia Klein, José Trajano e Ricardo Perrone - o tema foi discutido e os dois clubes foram apontados como grandes favoritos para as disputas em 2021. Isso não quer dizer, porém, que nenhum adversário seja capaz de superá-los.

"Fica cada vez mais consolidada essa hegemonia que a gente tem visto nos últimos cinco anos, dividida entre Palmeiras e Flamengo, que já tem seus elencos montados, técnicos que encaixaram. Acho difícil que essa hegemonia dos dois seja desbancada", analisou Klein.

Para Trajano, a dupla não deve encontrar tantos obstáculos no caminho para erguer novas taças. "Está na cara que Palmeiras e Flamengo saem na frente. O Palmeiras, por tudo que conseguiu, pela renovação, pelos meninos que têm e por um elenco mais cheio de bons jogadores, e o Flamengo, não só pelos feitos, mas também conta com bons garotos, são os dois times com potencial de ter um ano na frente dos outros", comentou.

Perrone concorda. "Espero uma temporada na qual Palmeiras e Flamengo largam na frente. Não vejo os rivais do Palmeiras em São Paulo fazendo frente. Deve consolidar hegemonia em São Paulo como o Flamengo já fez no Rio de Janeiro", considerou.

Os três jornalistas apontaram quem tem maiores chances de superar Palmeiras e Flamengo em 2021. "O Atlético-MG fica como ponto de interrogação. O Inter pode vir bem como novo treinador, mas fica dúvida. Vale prestar atenção no trabalho do Crespo no São Paulo", disse Klein.

Embora tenha sido citado como possível adversário, o Atlético-MG também foi visto com desconfiança por Perrone. "O Atlético-MG ainda parece estar naquele modelo de gastar para correr atrás do título. Acho que pode chegar", opinou. Trajano não se animou tanto com o Galo e nem com outros rivais. "O Atlético-MG gastou muito, mas não se acertou. E todo mundo trocou de técnico", lembrou, citando São Paulo, Internacional e Santos.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Futebol