PUBLICIDADE
Topo

Atlético-MG

Rodado no futebol, Cuca reencontrará velhos conhecidos no Atlético-MG

Técnico Cuca conversa com Diego Tardelli durante treinamento em sua primeira passagem pelo Atlético-MG - Bruno Cantini/Site oficial Atlético-MG
Técnico Cuca conversa com Diego Tardelli durante treinamento em sua primeira passagem pelo Atlético-MG Imagem: Bruno Cantini/Site oficial Atlético-MG

Guilherme Piu

Do UOL, em Belo Horizonte

06/03/2021 04h00

Classificação e Jogos

O Atlético-MG anunciou ontem (5) o retorno de Cuca após sete anos e a volta do treinador proporcionará reencontros do comandante com antigos comandados, seja por trabalhos no próprio Galo ou em outros clubes. Casos do lateral direito Mariano, do atacante Diego Tardelli, do goleiro Rafael, do meia Hyoran, do atacante Keno, e do agora gerente de futebol e ex-camisa, Victor Bagy.

A previsão é que Cuca desembarque em Belo Horizonte na próxima semana, quando ficará frente a frente com os velhos conhecidos.

Diego Tardelli

Tardelli foi uma das peças de mais destaque no Atlético-MG comandado por Cuca em 2013, time que venceu a Copa Libertadores daquele ano. Já Mariano ganhou espaço com o comandante na fantástica campanha de recuperação do Fluminense, em 2009, quando o Tricolor Carioca arrancou para uma fuga impressionante do rebaixamento no Campeonato Brasileiro. A dupla, considerada veterana não só pela idade, mas pela rodagem no futebol.

"O que eu tenho que falar dele são só coisas boas nesse período que trabalhamos juntos, desde o São Paulo, em 2004. Foi cara me deu a oportunidade de mudar minha vida, quando me levou para China. É um pai que eu tenho", disse Diego Tardelli.

Tardelli também trabalhou com Cuca, além do Galo e do São Paulo, no país asiático. Foi o treinador o responsável pela indicação que levou o atacante para o Shandong Luneng, em 2015. Agora os dois se reencontrarão após seis anos.

"Mesmo tempo que a gente é feliz, a gente acabou brigando algumas vezes, coisa de família mesmo. Só tenho coisas boas para falar do Cuca. Se vier, tenho certeza que vai fazer um ótimo trabalho. Vamos nos dar bem. É grande pai, um grande amigo, um grande treinador na minha carreira", completou Tardelli, poucos dias antes da contratação de Cuca pelo Galo.

Mariano

Outro jogador que reencontrará Cuca é o lateral direito Mariano. Os dois trabalharam juntos há pouco mais de 11 anos e participaram da campanha de recuperação do Fluminense no Brasileirão de 2009. O time carioca escapou do rebaixamento na reta final depois de uma arrancada de seis vitórias — Atlético-MG, Cruzeiro, Palmeiras, Athletico-PR, Sport e Vitória — e um empate (Coritiba). O time tinha, antes de tal feito, 99% de chance de cair à Série B, de acordo com os matemáticos.

"Tive o privilégio de trabalhar com Cuca em 2009, em uma arrancada histórica do Fluminense contra o rebaixamento. Cuca foi quem me colocou para jogar. Tive uma amizade muito boa no Fluminense e tivemos contato depois. Sempre desejei o melhor para ele (...) Espero que a gente esteja preparado para quando chegar o treinador. A expectativa é grande para a chegada do novo comandante. Se for o Cuca, eu, particularmente, vou ficar bem feliz", comentou Mariano.

Keno

O atacante Keno também voltará a trabalhar com Cuca. Foi o treinador que indicou o agora camisa 11 do Galo para o Palmeiras, em 2016. O jogador deixou à época o Santa Cruz para acertar com o Verdão.

"O Cuca é excelente treinador, ele que me trouxe para cá [Palmeiras]. Agradeço muito a ele", disse Keno, em outubro de 2017, depois da saída do treinador do Palmeiras.

Rafael

Em 2010, quando o treinador comandou o Cruzeiro, Rafael era o reserva de Fábio. O jovem goleiro dava os primeiros passos no time principal da Raposa, já que havia feito sua estreia em 2008, em um amistoso contra o América-MG.

Victor

O ex-goleiro Victor, agora gerente de futebol do Atlético-MG, foi peça fundamental do Galo na conquista da Libertadores, em 2013, título mais importante da história atleticana.

Cuca era o treinador naquela época e viu o seu goleiro fazer milagres, principalmente no pênalti defendido no jogo contra o Tijuana (MEX), nas quartas de final da competição sul-americana. Na ocasião, com o pé esquerdo, o goleiro parou a cobrança de Riascos. Ali, nascia para o torcedor do Galo o "São Victor".

Hyoran

O meia Hyoran foi jogador de Cuca no Palmeiras. Foi justamente do Verdão que o Atlético-MG comprou 50% dos direitos econômicos do meio-campista, que no Campeonato Brasileiro de 2020 chegou a ter destaque sob o comando de Jorge Sampaoli.

Leonardo Silva

Um dos heróis do Atlético-MG na campanha da Libertadores de 2013, o ex-zagueiro Leonardo Silva, titular absoluto com Cuca naquela época, aposentou as chuteiras, mas segue no Galo. Hoje, ocupa o cargo de coordenador técnico e será outro a reencontrar o velho treinador.

Capitão América

O zagueiro Réver também trabalhou com Cuca no Atlético-MG e foi o responsável por erguer a taça de campeão da Copa Libertadores em 2013.

Sasha e Everson

Em seu início de trabalho no Santos na última passagem pelo clube, Cuca também dirigiu Sasha e Everson. O treinador, inclusive, ajudou a diretoria do clube praiano a resolver situação na saída dos jogadores, que acionaram o Peixe na Justiça antes de chegarem ao Galo.

Cuca foi um dos responsáveis por convencer os atletas a saírem de forma "mais justa".

"gente joga aberto, eu já fui jogador. Sasha falou que era complicado e fomos para outro caminho, a negociação. É um ativo, não tínhamos que brigar. Sasha, Atlético e Santos ganharam na negociação. Santos não teve prejuízo em relação ao que pagou", disse Cuca à época.

"Éverson é diferente, bom jogador e boa pessoa. Não vamos deixar encostado porque ele se arrependeu. Torcedor pode ficar bravo e tem direito, mas estamos fazendo certo. Colhemos o bem fazendo o bem", completou o treinador.

Atlético-MG