PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Crespo elogia São Paulo com atitude, mas é cauteloso após 2ª goleada

Hernán Crespo, técnico do São Paulo - Marcello Zambrana/AGIF
Hernán Crespo, técnico do São Paulo Imagem: Marcello Zambrana/AGIF

Do UOL, em São Paulo

06/03/2021 22h34

Atitude, coragem, valentia, garra. Essas foram algumas das características citadas pelo técnico Hernán Crespo sobre o time do São Paulo, que hoje (6) goleou o Santos por 4 a 0, no Morumbi, pela terceira rodada do Campeonato Paulista. Há nove dias no comando, o argentino enalteceu o desempenho de seus atletas em uma semana com duas vitórias em três partidas.

Três dias depois de fazer 4 a 0 na Inter de Limeira, o São Paulo repetiu a dose no duelo contra o Santos. E o fato de o resultado ter sido construído em condições adversas, com o gramado encharcado por causa da forte chuva sobre a capital paulista, foi especialmente comemorado por Crespo. No primeiro tempo, o Tricolor encontrou dificuldade no toque de bola, mas foi arrasador nos últimos 45 minutos, quando o campo parecia mas propício para o jogo de futebol.

"Gostaria de parabenizar os jogadores pela disposição, pela adaptação às condições climáticas do primeiro tempo ao campo de jogo. Isso é atitude e capacidade de adaptação. No segundo tempo, pudemos jogar um pouco mais. E eles sempre tentaram, apesar das condições. Acreditaram na própria capacidade em manter uma forma de jogo em um campo tão difícil.

A mudança de postura do São Paulo também tem sinal em uma substituição de Crespo. No intervalo, o treinador abandonou o esquema com três zagueiros ao colocar o equatoriano Joao Rojas em campo no lugar e Arboleda.

"Foi uma alteração tática porque Arboleda tinha um problema no pé e entendíamos que podíamos passar a jogar com uma linha de quatro defensores. Eles estavam atacando com três, e vinha bola longa sobre o Marques (Bruno). Então, necessitávamos de dois defensores contra um. E com Rojas de um lado e Sara do outro, tivemos mais amplitude."

Apesar da euforia inicial, com sete pontos somados em nove disputados, Crespo afirmou que ainda é preciso aguardar para que esse trabalho esteja bem estruturado para superar os maus momentos durante a temporada.

"O trabalho está começando, e ele também tem tempos difíceis. E temos que estar preparados para isso. É ilusão que será assim todo ano, e temos que nos manter firmes. Manter essa coragem e valentia que demonstraram esses jogadores. Manter a identidade, o que querem e como querem jogar", comentou.

"O que aconteceu nesta semana, com resultado, rendimento e atitude, foi o primeiro passo para construir algo maior que queremos. Mas o primeiro passo foi muito bom. Foi um clássico e nem sempre se ganha de 4 a 0 contra um rival muito grande. Torcedores e jogadores têm que estar felizes. Mas eu estou tranquilo porque é um trabalho que está começando."

Veja outras declarações de Crespo:

Miranda e Orejuela

"O São Paulo está se movimentando. Queremos o plantel competitivo em todas as linhas. Creio que a chegada deles nos dará essa competência neste momento-chave de início de temporada. Com Libertadores, Paulista e muitas partidas de alta exigência, o plantel precisa de mudanças para manter o nível. E estamos completando o elenco devagar"

Rodrigo Nestor titular

"Esperamos um campo diferente, e precisava de jogador com mais dinâmica que o Luan, que é mais de força. Também entendia que um meio-campo com Sara, Nestor e Daniel Alves nos daria agilidade e velocidade de jogo, o que lamentavelmente não foi permitido pelo campo no primeiro tempo. No segundo, houve outra leitura tática, mas sem perder a identidade do São Paulo. O time pode jogar com três zagueiros, com linha de quatro, de muitas maneiras para chegar às vitórias. Mas sem a atitude, garra e convencimento dos jogadores, é impossível"

Defesa pouco vazada

"Não há uma fórmula mágica para não ceder gols ou para fazer muitos gols. Começamos com três zagueiros e depois mudamos e não concedemos gols. A realidade é que com atitude, disciplina e ordem, as coisas acontecem. Entendemos que, se temos essa disciplina para jogar e agressividade, vai ser difícil que não marquem. Mas os rivais também têm categoria e talento. Estamos no futebol brasileiro, onde há um monte de talentos. A primeira semana foi muito boa, mas há um longo caminho para percorrer"

Futebol