PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Marcos Braz: com certeza o Flamengo não terá grandes perdas de jogadores

Do UOL, em São Paulo

05/03/2021 04h00

Agressivo no mercado da bola nas últimas temporadas e com sucesso dentro de campo, o Flamengo tem como desafio a falta de arrecadação com o público em seus jogos devido à pandemia, o que deve mudar a postura do time em contratações. A expectativa do vice de futebol Marcos Braz, no entanto, é que o elenco não venha a sofrer grandes perdas na temporada 2021.

Em entrevista a Mauro Cezar Pereira, no programa Dividida, o dirigente diz ter certeza que o clube não terá baixas significativas de jogadores devido a negociações, embora considere algumas mudanças que ele diz que seriam para oxigenar o elenco.

"É evidente que a gente não vai ter a mesma aptidão no mercado, a mesma musculatura que foi o começo de 2019, o começo de 2020, que a gente conseguiu fazer também as boas contratações. Só que a pandemia está aí e o seguinte, a gente vai fazer as contratações, eu sou muito confiante em relação a isso aí, agora, de uma maneira não mais inteligente, mas de uma maneira que a gente tenha que se inventar, se reinventar, fazer empréstimos, fazer ajustes", afirma Braz.

"Agora, eu sou bem otimista em relação à perda de jogadores, eu tenho certeza absoluta que o Flamengo não vai ter grandes perdas, mas, independente dessas perdas, isso não pode se embolar nesse discurso, uma coisa são as perdas e outra coisa é a importância de oxigenar o elenco. Independente das vitórias, independente do excelente 2019 e o bom 2020, eu sou uma pessoa que eu sempre acho que tem que oxigenar mais do que nunca um departamento de futebol profissional, um grupo de jogadores. Acho que o Flamengo vai fazer isso, mas de uma maneira diferente do que foi 2019 e 2020", completa.

Ainda que tenha limitações e não utilize da mesma agressividade no mercado, o dirigente rubro-negro cita a chegada do zagueiro Bruno Viana e que o clube deve buscar aproveitar oportunidades de mercado, mas utilizando de criatividade para não prejudicar suas finanças, considerando que o futebol brasileiro deverá demorar para ter a presença de torcedores nos estádios novamente.

"Quando a gente vai para um processo desse, você corre mais riscos, porque uma coisa é você ter o dinheiro de quem você quer contratar, outra coisa é você achar uma possibilidade de uma opção ou outra para você querer contratar. A gente vai assumir esses riscos aí e eu tenho certeza absoluta que a gente vai ter um elenco qualificado, um elenco muito bom", afirma Braz.

"Eu estou muito pessimista em relação à velocidade dessa vacinação aqui no Estado do Rio e no Brasil e isso aí, qual é o impacto disso aí? O impacto é um impacto direto, é um impacto na veia do orçamento do clube, porque a gente não vai ter, mais uma vez. Eu acho muito pouco provável ter 70 mil pessoas no estádio aqui no Rio de Janeiro. Isso é muito ruim para o futebol, muito ruim para o Flamengo, e não é o Flamengo que vai sangrar, não, todo clube popular no Brasil vai sangrar", conclui.

O Dividida vai ao ar às quintas-feiras, às 14h, sempre com transmissão em vídeo pela home do UOL e no canal do UOL Esporte no YouTube. Você também pode ouvir o Dividida no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e Amazon Music.

Futebol