PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Acordo da TV WA por jogos da seleção nas eliminatórias deve ser desfeito

Raúl Martínez-Pool/Getty Images
Imagem: Raúl Martínez-Pool/Getty Images

Do UOL, no Rio de Janeiro

05/03/2021 22h17

O acordo para a compra dos direitos de transmissão dos jogos da seleção brasileira nas eliminatórias da Copa de 2022 pela TV WA (TV Walter Abrahão) deve ser desfeito. O acordo envolvia o pagamento de US$ 11 milhões pelos direitos de 56 partidas, incluindo confrontos do time brasileiro.

A Mediapro, detentora dos direitos, entende que a emissora descumpriu o contrato. Por isso, a empresa considera o acordo rescindido e já procura outro comprador no mercado. As informações foram confirmadas por fonte ligada à Mediapro.

Por sua vez, a TV WA rebate: "Impossível pagar algo que não tem data definida por conta da pandemia, o que para nós é uma tristeza, já estamos passando isso com o Catarinense, mas entendemos que o respeito a vida vem antes de interesses comerciais pessoais A TV WA continua interessada, tem os patrocinadores para tal, mas por respeito ao dinheiro dos patrocinadores, só serão despendidos quaisquer valores na certeza que nenhum patrocinador será lesado", disse Walter Abrahão Filho, dono da televisão, que alega ter o dinheiro para pagar pelos direitos.

"Nosso desejo é poder fazer a transmissão na hora certa, no momento certo, cedendo jogos gratuitos para Globo, Band, SBT, Record, Rede TV, UOL, Veja , Estadão, Folha, Brasil247, entre outros", completou.

A TV WA assinou um acordo com a Mediapro para comprar os direitos dos jogos das eliminatórias da Copa por US$ 11 milhões. Isso incluía sete partidas da seleção no exterior, além de outras partidas de outras seleções. O jogo do Brasil x Colômbia, marcado para 26 de março, estaria no pacote.

Só que, para ser efetivo, o contrato teria de ter pagamentos e garantias de quitação feitas pela TV WA. Como mostrado pelo UOL, a empresa tem um capital que representa uma fração do total a ser pago, e o seu dono, Walter Abrahão Filho, não tinha patrimônio para quitar o valor.

Waltinho, como é conhecido o dono da emissora, afirma que o capital da empresa não influencia na capacidade para honrar o compromisso. Ele declara ser proprietário de outras empresas, como uma fábrica de água mineral.

A reportagem apurou que o Banco Daycoval era cogitado por pessoas que participaram da negociação como um financiador.

Em fevereiro, o banco informou à reportagem que não participava da operação. Porém, confirmou que chegou a ser procurado para solicitação de crédito, mas não foi dada continuidade.

Nesta quarta-feira (3), representantes da Mediapro já desistiam do acordo e começaram a procurar novos compradores no mercado. A intenção era procurar a Globo para voltar a negociar as partidas.

A emissora carioca tinha rejeitado um acordo nos temos iniciais postos pela Mediapro, que queria US$ 2 milhões por jogo do Brasil. Por sua vez, a TV WA não considera a Globo uma concorrente.

A Globo já detém os direitos sobre outras 10 partidas da seleção, as nove realizadas no país e o confronto com a Argentina no exterior.

Por enquanto, ainda não há confirmação de que o jogo do Brasil x Colômbia será realizado. A Fifa tenta a liberação de jogadores, mas a pandemia de coronavírus gera restrições nos países europeus onde estão os jogadores. A tendência é o adiamento da partida.

Futebol