PUBLICIDADE
Topo

Palmeiras

Estreantes do Palmeiras chamaram a atenção de Abel ao cantar hino em trote

Thiago Ferri

Do UOL, em São Paulo

04/03/2021 04h00

O Palmeiras lançou no empate por 2 a 2 no clássico contra o Corinthians três jogadores das categorias de base: o lateral direito Garcia, 19 anos de idade, o volante Fabinho, 18, e o atacante Giovani, 17. Os dois primeiros atuaram mais e deixaram boa impressão no técnico Abel Ferreira, que já havia gostado da postura deles no trote com o grupo, na noite de ontem (2).

"Ontem [terça] na véspera do jogo, eles fizeram o trote e eu posso dizer que o Garcia e o Fabinho foram os que cantaram melhor o hino [do Palmeiras]. Não houve engano, houve acerto, foco. Eu gosto muito de avaliar os jogadores pela inteligência, porque precisamos disso para o nosso jogo coletivo. Eles já trabalham conosco. Vamos dar tempo, entraram, mostraram que estão aí, temos muito pela frente. Sempre bom nestas oportunidades se mostrarem presentes. É um orgulho tremendo, eu fui contratado para isso. Gosto de mesclar garotos com experiência. Muito contente e orgulhoso do trabalho que fazemos na equipe principal e a preparação. Na base tem gente competente", elogiou Abel.

Por conta da disputa da final da Copa do Brasil, o Palmeiras chegou a tentar o adiamento do clássico, mas a Federação Paulista não autorizou. Por isso, o clube não levou os titulares da final e ignorou a partida em suas mídias oficiais.

A escalação para o jogo contou basicamente com reservas e jogadores das categorias de base — foram relacionados 16 formados no clube, batendo o recorde da temporada passada, em que o Verdão chegou a ter 15 garotos entre titulares e reservas para uma partida. Na relação, há nomes como Vinicius Silvestre, Victor Luis e Rafael Elias, que são do sub-20 alviverde, mas não foram promovidos recentemente.

A equipe que terminou o Dérbi foi: Vinicius; Garcia, Luan, Renan e Victor Luis; Danilo, Fabinho e Esteves; Breno Lopes, Giovani e Rafael Elias. Apenas Luan e Breno Lopes não eram da base.

Garcia e Fabinho são da mesma geração, dos nascidos em 2002, enquanto Giovani nasceu em 2004. O lateral direito foi campeão da Copa do Mundo sub-17 em 2019, o meio-campista é considerado muito talentoso e se recuperou bem de uma cirurgia que passou no joelho. Giovani é o caçula do grupo e fez mais de 100 gols na base.

Abel Ferreira aproveitou a entrevista pós-jogo de ontem (3) para elogiar o departamento de base do clube. Conhecido por trabalhar com a formação de atletas, o português vê um futuro promissor usando os atletas do CT de Guarulhos (SP).

"Gostaria de deixar uma palavra para toda a formação do Palmeiras, aos treinadores, parabéns a eles e ao diretor. Gosto muito, eles formam grandes jogadores e grandes homens. O futuro é este, já temos aqui muitos. Eu gostaria de saber como nossa massa ia regir na arena, quando o Danilo errou três passes o que eles iriam fazer. Acho que iriam assobiá-lo e aí vai ser o grande desafio. Somos todos um ou só às vezes? Eles vão falhar e eu também. Temos já vários jogadores aqui em cima, mas temos de ter calma, e eu venho de um país em que se aposta muito na formação", analisou.

"Tem que ser uma aposta com critério, com tempo. Uma coisa é a formação, competir. Fica o registro, mas dar parabéns aos treinadores, porque eu venho da formação, e quando falamos é um trabalho coletivo de todos. Parabéns à estrutura, porque além de são bons jogadores, são grandes homens. Eles me cumprimentam sempre, vejo a educação. E isto é muito importante", concluiu.

Palmeiras