PUBLICIDADE
Topo

Santos

Quem mostrou serviço na 1ª partida do "laboratório" de Holan no Santos

Gabriel Pirani, do Santos, na partida contra o Santo André - Ettore Chiereguini/AGIF
Gabriel Pirani, do Santos, na partida contra o Santo André Imagem: Ettore Chiereguini/AGIF

Colaboração para o UOL, em São Paulo

01/03/2021 04h00

Classificação e Jogos

O empate do Santos com o Santo André, na estreia do Campeonato Paulista, ontem, no Canindé, foi o primeiro jogo do "laboratório" de Ariel Holan. O técnico argentino foi ao estádio para assistir de perto aos garotos da base santista, que podem ser aproveitados na montagem do elenco para a temporada. Com um time recheado de "Meninos da Vila", alguns já se destacaram no primeiro desafio.

O atacante Gabriel Pirani foi um deles. Em seu segundo jogo como profissional —o primeiro havia sido contra o Bahia, na última rodada do Brasileirão—, marcou o primeiro gol como profissional do Santos, aos 18 anos de idade.

O gol mostrou que Gabriel tem uma ótima capacidade de movimentação, além de boa condução de bola em velocidade. A frieza para tocar na saída de Fernando Henrique também provou que o menino pode ter futuro no elenco do Santos.

"Eu fico feliz, eu trabalhei sempre, minha vida inteira, dez anos. Fico feliz, sei que meu trabalho está sendo bem feito", disse Pirani em entrevista ao canal Premiere no intervalo do jogo.

Outro garoto que se destacou foi Kevin Malthus. Mostrando personalidade, o meia tem uma ótima visão de jogo, passe qualificado e bom drible. Foi o responsável pela jogada e assistência do gol de Jean Mota, o primeiro do Peixe.

Zaga mostra serviço e Ângelo é mais discreto

A dupla de zaga, Kaiky e Alex foi outro ponto alto desse time do Santos no empate. Apesar dos gols sofridos, os dois zagueiros têm saída de bola qualificada, capacidade de quebrar linhas defensivas adversárias com passes longos e trabalharam bem juntos.

Destaque do jogo diante do Bahia, Ângelo teve partida mais discreta ontem, mas promete ser mais um jogador o qual Holan poderá contar no plantel daqui para frente. Aos 16 anos, o garoto tem muito espaço para melhora e deve permanecer no elenco principal durante a temporada.

O auxiliar técnico do Santos, Marcelo Fernandes, que comandou equipe na partida de ontem, não poupou elogio aos "meninos de ouro" da Vila.

"Um primeiro tempo muito bom, muito bom, uma equipe com uma média de idade de 20 anos de idade. A molecada tomou um gol com dois minutos e teve personalidade para empatar e virar o jogo no primeiro tempo", disse Fernandes em entrevista coletiva após a partida.

Os pedidos de Holan

Marcelo Fernandes também falou sobre como o técnico argentino já vem exercendo influência sobre as atividades diárias do Santos. Algo que já vinha acontecendo mesmo antes de sua chegada ao país. O interino não entrou em detalhes, mas deu a entender que alguns atletas foram escalados por sugestão de Holan.

"O seu Ariel tem conversado com a gente desde a Bahia. A gente troca ideia. Logicamente ele tem um grupo de análise de desempenho em volta dele, que já tem todos os perfis traçados de todos os jogadores, e ele com certeza conversou com a gente a respeito de querer esse jogador ou aquele jogador em tal posição. E cabe a gente a fazer aquilo que ele pediu durante o jogo, no momento ideal", disse Fernandes.

Falta de ritmo

Apesar da qualidade e do bom primeiro tempo, os garotos sofreram com a falta de ritmo, o que fez com que o Santos tivesse uma ligeira queda de produção na segunda etapa, quando o Santo André foi melhor que o Peixe. De toda forma, são riscos que o laboratório para Holan eventualmente geraria ao time. Por outro lado, o ganho é a maior rodagem para esses garotos.

"O Ariel está chegando agora, vai implementar seu trabalho, tenho certeza que ele ficou feliz de poder ver que quase 20 jogadores do seu plantel, 17 meninos, que podem dar conta do recado, contra uma equipe madura do Santo André", afirmou Fernandes.

O próximo desafio da garotada Santos é na próxima quarta-feira (3), em casa, contra a Ferroviária. Holan ainda não deve comandar o time na beira do gramado, mas certamente estará observando os jogadores que prometem ser o futuro da equipe santista em mais uma temporada.

Santos