PUBLICIDADE
Topo

Corinthians

João Victor se apresenta ao Corinthians com meta traçada: 'Titularidade'

João Victor chega para brigar por espaço no elenco do Corinthians  - Heber Gomes/ Atlético-GO
João Victor chega para brigar por espaço no elenco do Corinthians Imagem: Heber Gomes/ Atlético-GO

Yago Rudá

Colaboração para o UOL, em São Paulo

01/03/2021 04h00

Classificação e Jogos

Hoje, o Corinthians recebe o reforço do zagueiro João Victor. Formado na base do clube, o jogador atuou na Inter de Limeira e também no Atlético-GO na última temporada, e teve seu retorno solicitado pela diretoria. Em alta após ser titular na maior parte do Brasileirão e conquistar o Campeonato Goiano, no último sábado, o defensor chega ao CT Joaquim Grava com um objetivo claro definido: ser titular do Timão em 2021.

O atleta retorna ao Corinthians em um momento delicado do clube do Parque São Jorge. Afinal, a equipe está em reformulação e a comissão técnica deve promover testes nos primeiros meses do ano. O zagueiro chega para disputar vaga com Bruno Méndez, Gil, Jemerson, Léo Santos, Danilo Avelar e Raul Gustavo, mas confiante na qualidade de seu futebol.

"Sou um cara que acredito muito no meu potencial e trabalho muito para conquistar os objetivos que tenho em mente. Desde quando saí do Corinthians, tinha em mente que quando eu voltasse seria para realmente conquistar o meu espaço. Não queria ser só mais um no clube. Depois de fazer um bom Paulista e um bom Brasileiro acho que volto com possibilidades de ser titular e brigar de igual para igual com qualquer um lá. Respeito todos eles, são grandes jogadores, mas quero buscar meu espaço e vou lá para brigar pela titularidade", afirmou o zagueiro.

Cria da base, João passou quase a temporada inteira de 2019 treinando sob o comando de Fábio Carille sem ser aproveitado. Sem espaço, foi cedido para a Inter de Limeira por empréstimo e lá foi titular em todos os jogos do Paulistão - apenas não jogou diante do próprio Corinthians já que seu contrato não permitia. No fim, foi determinante para que o clube se mantivesse na elite do estadual mesmo com um investimento menor do que seus concorrentes.

Na sequência, de novo sem espaço no CT Joaquim Grava com Tiago Nunes, o zagueiro assinou contrato de empréstimo com o Atlético-GO para a disputa da Série A. No Centro-Oeste, João Victor encontrou o técnico Vagner Mancini e passou a ser titular do Dragão no Campeonato Brasileiro. A convivência com o atual comandante foi determinante para a definição de seu retorno.

"Eu e o Mancini chegamos juntos no clube. Foi um cara que me passou muita confiança e me deu a oportunidade de jogar pela primeira vez o Brasileiro. Sou muito grato pelo o que o Mancini fez por mim, pelos conselhos que ele e o Batatais (auxiliar técnico) me deram. Acho que essa volta ao Corinthians tem a ver com ele. Claro que fiz um bom campeonato, mas por ele me conhecer acaba facilitando, já que sabe o que eu posso render em campo. Isso foi muito bom", comemorou o jogador.

No último sábado, João Victor atuou durante os 90 minutos da final do Campeonato Goiano - vencida pelo Atlético em cima do Goianésia. O jogador se apresenta hoje ao Corinthians, passará por exames médicos e será integrado ao elenco ainda nesta semana. Como vinha jogando, está à disposição da comissão técnica e, caso agrade, pode até pintar nos próximos jogos do Alvinegro no Paulistão.

Veja a entrevista completa com o zagueiro do Timão:

Como foi a experiência de jogar no Atlético-GO e disputar a primeira Série A da sua carreira?

"Todo mundo que já jogou no Atlético sempre falou muito bem do clube, da estrutura e da diretoria. Isso foi um fator importante para vir. Fico muito feliz por estar jogando meu primeiro Brasileiro e ter feito a maioria dos jogos como titular. Isso foi muito importante para minha carreira, para o meu reconhecimento. Eu era pouco reconhecido, tinha jogado apenas o Paulista. Foi uma oportunidade e tanto e agradeço ao Atlético".

Os empréstimos para Inter de Limeira e Atlético-GO te ajudaram a amadurecer como jogador de futebol?

"Tanto o Brasileiro como o Paulista, logo que eu saí do Corinthians, foram fundamentais para o meu amadurecimento como pessoa e como jogador. Ambos os campeonatos são muito difíceis. O Paulistão é o estadual mais difícil do país na minha opinião, e o Brasileirão é o melhor campeonato do país. Jogar ao lado de grandes jogadores e também contra eles te ajuda a aprimorar seu jogo. Você passa a trabalhar para minimizar os erros e estudar mais os adversários. Essa temporada foi fundamental para o meu amadurecimento".

Qual foi seu jogo inesquecível na temporada 2020?

"Não teve um jogo tão importante individualmente, mas fiz jogos bem regulares. Isso foi o meu diferencial. Não tive jogos extremamente bons, nem muito ruins. Fazer um Campeonato Brasileiro de forma irregular é uma coisa muito boa".

Quando você recebeu a confirmação de que retornaria ao Corinthians?

"Meus empresários já vinham conversando comigo sobre essa real possibilidade de voltar para o Corinthians até porque tem o Mancini lá, que é um cara que já trabalhou comigo. Vi alguns rumores na internet e como eu vinha fazendo bons jogos, isso acarretou nessa volta".

O Mancini chegou a te ligar para dar a notícia?

"Na verdade, não. O Alessandro comunicou meus empresários e eu fui comunicado por eles".

O Corinthians passa por um processo de reformulação no qual alguns jogadores serão emprestados ou negociados. Por estar voltando agora você tem algum receio de ser cedido para algum outro clube?

"Realmente existe essa possibilidade. No meu ponto de vista, não é o que vai acontecer agora. Devo voltar para o Corinthians com o grupo todo e, caso tenha o interesse de um outro clube, aí sim seria analisado. Mas eu estou focado no Corinthians. Sei do meu potencial e estou voltando para ficar".

Corinthians