PUBLICIDADE
Topo

Botafogo

Em busca de recomeço, Gatito vira garoto-propaganda do Botafogo

Jogadores do Botafogo, com Gatito Fernandez à frente, usam máscara em protesto contra a manutenção do Carioca mesmo com a pandemia do coronavírus. Botafogo x Bangu no Engenhão pelo Campeonato Carioca 2020 - Thiago Ribeiro/AGIF
Jogadores do Botafogo, com Gatito Fernandez à frente, usam máscara em protesto contra a manutenção do Carioca mesmo com a pandemia do coronavírus. Botafogo x Bangu no Engenhão pelo Campeonato Carioca 2020 Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

01/03/2021 04h00

O Botafogo lançou a plataforma para a transmissão dos jogos do Campeonato Carioca tendo como um garotos-propaganda a joia Matheus Nascimento e o goleiro Gatito Fernández, que inicia a temporada em busca de um novo começo no clube para retomar o espaço que já teve, tanto no elenco quanto junto à torcida.

Identificados com o Glorioso, então um dos líderes do atual elenco e apontado como ídolo, o camisa 1 terminou a temporada em baixa e envolvido em uma polêmica, com direito a "bate-boca" público com ex-dirigente e uma história que não se encaixou bem. Recentemente, porém, garantiu que quer ficar em General Severiano e ajudar na luta para retornar à série A do Campeonato Brasileiro.

Na quarta fase da Copa do Brasil, em setembro, o Botafogo eliminou o rival Vasco, mas Gatito acusava ali um incômodo no joelho direito que mudaria completamente a temporada para ele.

Apesar do problema médico, o goleiro foi convocado para a seleção paraguaia e atuou nas Eliminatórias da Copa do Mundo, contra o Peru. A dor no local, porém, piorou e ele nem sequer enfrentou a Venezuela, dias depois.

Botafogo lança plataforma para a transmissão do Carioca 2021 - Reprodução / Twitter Botafogo - Reprodução / Twitter Botafogo
Imagem: Reprodução / Twitter Botafogo

Ao retornar a General Severiano, com a lesão agravada, o camisa 1 retomou a recuperação e não mais voltou a atuar em uma temporada em que o Alvinegro acabou rebaixado antecipadamente no Brasileiro — ele esteve em campo em oito partidas na competição e viu Cavalieri se tornar titular.

Em outubro, mesmo com Gatito entregue ao departamento médico, Augusto Paraja, empresário do jogador, concedeu uma entrevista rádio paraguaia "Monumental 1080AM" e afirmou que, à época, estava "vendo as opções para ele ser transferido". A declaração não soou bem junto à cúpula e também aos torcedores.

Pouco depois de o rebaixamento à Série B ter sido concretizado, Carlos Augusto Montenegro, ex-presidente do clube e um dos integrantes do comitê que geriu o Futebol alvinegro na última temporada, enviou uma carta a alguns sócios. Dentre admissão de erros e algumas constatações sobre a realidade financeira do Botafogo, ele disse, em um trecho, que a diretoria não contava com a "covardia do Gatito de não querer jogar".

O goleiro rebateu o ex-dirigente e também fez acusações em relação ao departamento médico do clube, gerando um conflito de versões. Ele afirmou que não sabia da gravidade da lesão e, por isso, atuou pelo Paraguai, mas o Botafogo havia comunicado os prazos de recuperação à federação paraguaia e à Conmebol. As declarações do jogador, inclusive, caíram mal entre membros do antigo departamento de futebol — houve uma reformulação recentemente.

Depois de um desastroso 2020, o Glorioso atravessa uma reformulação geral e, principalmente, no departamento de futebol. Gatito, por sua vez, conversou com a diretoria e demonstrou o desejo de permanência no clube. O goleiro ainda se recupera da lesão e tenta voltar aos gramados para voltar a atuar, recuperar o espaço no grupo e o carinho da torcida.

Botafogo