PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Rival do SPFC, diretor ajudou em surgimento de R10 e busca por Jorge Jesus

Paulo Pelaipe, dirigente do Botafogo-SP, foi crucial para a revelação de Ronaldinho Gaúcho e a busca por Jorge Jesus no Flamengo - Coritiba/Site Oficial
Paulo Pelaipe, dirigente do Botafogo-SP, foi crucial para a revelação de Ronaldinho Gaúcho e a busca por Jorge Jesus no Flamengo Imagem: Coritiba/Site Oficial

Thiago Fernandes

Do UOL, em São Paulo

28/02/2021 04h00

Classificação e Jogos

O primeiro adversário do São Paulo no Campeonato Paulista será o Botafogo-SP, na noite de hoje (28), às 19h (de Brasília), no Morumbi. O diretor-executivo do clube, Paulo Pelaipe, tem bagagem no futebol e histórias de sobra. O dirigente foi peça fundamental na contratação de Jorge Jesus pelo Flamengo e participou ativamente da revelação de Ronaldinho Gaúcho pelo Grêmio.

Em entrevista ao UOL Esporte, o dirigente que ainda tem passagens por Fortaleza, Corinthians, Vasco e São Caetano relembra as duas situações supracitadas em sua carreira. Ele destaca a contratação do técnico Jorge Jesus enquanto foi gerente de futebol no Ninho do Urubu.

"Eu tinha um ex-atleta meu, o Jorge Baidek, que é meu amigo, e perguntei sobre o Jorge Jesus. Perguntei como ele era, disse que já tinha acompanhado o trabalho dele no Benfica e no Sporting. Tinha o conhecimento de que ele tinha retornado a Portugal depois de passar pelo mundo árabe", disse o dirigente rival do Tricolor paulista na primeira rodada do Paulistão.

"Eu falei para o Marcos [Braz], que me ouvia muito. Ele é uma pessoa de muito diálogo e muita sensibilidade como vice de futebol. Ele estava na Alemanha, tratando da negociação do Rafinha, e foi a Portugal para conversar com o Jorge [Jesus], gostou da conversa, falou com o presidente, que deu sinal verde, e o Bruno Spindel, que estava na Espanha pelo Filipe Luís, foi para Lisboa e se sentou com o Jorge [Jesus] e seus representantes para fechar o contrato. O Jorge [Jesus] veio ao Brasil e deu início a uma nova etapa", acrescentou.

A contratação de Jorge Jesus não foi a única ação de Pelaipe no mercado da bola. O dirigente também foi fundamental para a revelação de Ronaldinho Gaúcho durante a sua passagem pelo Grêmio na década de 1990. À época, o gaúcho se responsabilizava pelas divisões de base do clube de Porto Alegre.

"No Grêmio, eu fiquei mais de 20 anos, foram 23 anos. Eu trabalhei no futebol, no salão, na base, vi grandes jogadores se formarem. Tive a felicidade de, em 1997 e 1998, ser diretor do time de juniores. O Ronaldinho Gaúcho fazia parte daquele grupo. Eu tive a felicidade de trabalhar, de estar ao lado desse garoto. Ele passou por uma série de pessoas no Grêmio, no sub-11, sub-12, sub-14", afirmou.

"Aos 19 anos, tive a felicidade de ser o diretor da categoria de juniores do Grêmio, quando o Sebastião Lazaroni foi contratado, foi ver um treinamento da equipe para a Copa São Paulo e, assim que terminou o treinamento, ele estava com o presidente e disse que era para tirar o Ronaldinho da delegação que iria para São Paulo com o intuito de levá-lo ao time profissional. Naquele ano, ele foi promovido ao profissional em função do talento e de suas qualidades técnicas", completou.

Futebol