PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Danrlei elege Weverton titular da seleção antes da final: "É o melhor hoje"

Conmebol
Imagem: Conmebol

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

27/02/2021 04h00

Weverton, do Palmeiras, é o melhor goleiro brasileiro em atividade, dentro e fora do país, e merece ser titular da seleção brasileira. Essa é a opinião de Danrlei, ex-goleiro do Grêmio e atualmente deputado federal (PSD). Em entrevista ao UOL Esporte, o antigo camisa 1 falou sobre a fase do jogador alviverde e também projetou a final da Copa do Brasil 2020.

Está aí um confronto do qual o ex-jogador guarda memórias marcantes, como um dos protagonistas de jogos célebres nos anos 1990. Para ele, mesmo sendo este próximo duelo uma decisão, a versão atual não supera nem mesmo um choque pelo mata-mata de 1995, pelas oitavas de final — no qual deu Grêmio, após dois empates e triunfo gaúcho por conta de um gol a mais marcado fora de casa.

Agora, 26 anos depois, Grêmio e Palmeiras vão a campo nos próximos dois domingos, primeiro em Porto Alegre e depois em São Paulo, valendo troféu. O jogo na Arena do Grêmio será às 21h (horário de Brasília), após pedido das autoridades locais por conta do colapso na rede de saúde.

"É diferente. Naquele tempo eram dois clubes que estavam realmente muito bem. O Palmeiras era dito como muito superior, a dificuldade era imensa. A gente encarava uma seleção brasileira , e não existe mais isso no Brasil", disse Danrlei, 47, ao falar da comparação entre os jogos de 1995 e 2021.

Naquele mesmo ano, Grêmio e Palmeiras também se enfrentaram pela semifinal da Copa Libertadores, proporcionando ao futebol brasileiro um duelo verdadeiramente épico. O time gaúcho goleou por 5 a 0 em Porto Alegre e depois levou 5 a 1 em São Paulo. De novo, o gol fora garantiu o time na semifinal da Libertadores.

Weverton no topo

Para Danrlei, o Palmeiras é favorito ao título da Copa do Brasil, por já ter conquistado a Libertadores nesta temporada. Além do mais, na sua visão, o time de Abel Ferreira tem, debaixo das traves, o melhor goleiro brasileiro em atividade.

"O momento do Weverton, tudo que ele está jogando, além do momento dos goleiros brasileiros que estão na Europa, faz dele o melhor goleiro que a gente tem em atividade agora", opinou o ex-camisa 1 do Grêmio.

Na visão do ídolo dos gremistas, a oscilação de Alisson no Liverpool permite que Weverton sonhe com a titularidade no time de Tite.

"Hoje, se pegar o trabalho dos goleiros brasileiros em todos os times, o Weverton merece jogar. Claro, tem o histórico do Alisson e a confiança do treinador. Mas se pegar os números, atuações, os últimos três meses. Pode pegar aí, desde a volta do futebol em meio à pandemia, ele merece mais", apontou Danrlei.

Goleiros do Grêmio

Se Weverton é incontestável e vive grande fase, no lado do Grêmio uma das dúvidas às vésperas da final está justamente no gol. Vanderlei deve perder a titularidade para Paulo Victor. Danrlei vê os dois em pé de igualdade.

"Os dois se equivalem, na minha avaliação. Qualquer um deles vai trazer o mesmo resultado. Claro, estou falando vendo de fora. Vendo os jogos só. Mas no dia a dia tem muito mais coisa. O dia a dia, a fase, pesa na escalação", comentou. "É fase, né! Momento. Goleiro tem que dar tranquilidade ao time. O Palmeiras joga sabendo, se passar, o Weverton pega. Falo isso com base na minha experiência O treinador deve ver isso no dia a dia", completou.

Palmeiras melhor, mas...

Para Danrlei, mesmo que o time alviverde tenha ficado em quarto lugar no Mundial de Clubes no Qatar, a equipe paulista chega com mais cartaz à decisão. Tamanho o peso de uma conquista de Libertadores. Agora, aí é que está: isso não é necessariamente ruim para o Grêmio, segundo o ídolo.

"O momento do Palmeiras é melhor, se torna favorito por ter ganho a Libertadores. Tem um pouco mais de experiência, tranquilidade para jogar outra final. Ainda mais por tudo que aconteceu no Mundial. Os atletas vão querer mostrar que tudo aquilo que aconteceu lá não é comum. Isso entra no jogo, pode ter certeza. Mas o Grêmio está acostumado a não ser favorito em finais. Contra Corinthians, Flamengo. Até contra a Portuguesa, no Brasileiro [de 1996], o país todo torcia para eles. Isso não pesa no Grêmio. Isso dá mais desafio ainda, é um combustível. É bom para o Grêmio", analisou.

Quando a pergunta é sobre favoritismo, a tese da igualdade, então, fica maior para Danrlei.

"Não tem como apontar um favorito. O que parece bom para um, traz força para o outro. Sempre gostei de jogar não sendo favorito, e o Grêmio tem isso na história dele. Isso faz o clube se superar e aí equilibra o jogo. Vão ser dois jogos muito iguais, eu acho. A não ser que aconteça uma expulsão, algo muito diferente. Um desvio de rota, sei lá. Mas sem isso, algo muito brusco, vai ser bem igual", apostou.

Futebol