PUBLICIDADE
Topo

Futebol

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Mauro: Flamengo teve atuação ridícula, mas o campeonato se fez em 38 jogos

Do UOL, em São Paulo

26/02/2021 17h44

O Flamengo conquistou o título brasileiro pela segunda temporada consecutiva, mas de uma forma que não era a mais esperada pelo torcedor rubro-negro, que viu seu time perder para o São Paulo por 2 a 1 no Morumbi e precisou secar o Internacional nos minutos finais do jogo com o Corinthians para, enfim, comemorar.

No podcast Posse de Bola #103, Mauro Cezar Pereira afirma que a atuação do Flamengo diante o São Paulo foi constrangedora, mas diante de tantas oscilações de outros times ao longo da competição, o jornalista ressalta que o time comandado por Rogério Ceni acabou sendo o merecedor do título pelo que fez nas partidas anteriores à derrota no Morumbi.

"A atuação do Flamengo foi ridícula, foi uma atuação constrangedora até de tão ruim, só que o campeonato se faz em 38 rodadas. Constrangedor é não ser campeão, constrangedor é brigar contra o rebaixamento, constrangedor é o Flamengo com um time caro não conseguir brigar pelo título, isso seria constrangedor. Então o título não é constrangedor, mas a atuação foi", diz Mauro Cezar.

"A atuação foi constrangedora como a de várias outras equipes, por isso o campeão foi campeão em um jogo com derrota e numa atuação patética, porque outros rivais foram também patéticos inúmeras vezes. O São Paulo cansou de ser patético nesse ano, o Internacional foi patético várias vezes também, perdendo, por exemplo, para o Santos na estreia do Abel no campeonato, na Vila Belmiro, o Santos com reservas, Santos reserva que venceu o São Paulo no Morumbi também. Vários foram patéticos, o patético afetou o Grêmio, o Palmeiras, o Atlético-MG, vários foram patéticos em vários momentos, então alguém teria que ser menos patético e acho que foi o Flamengo", completa.

Na opinião do jornalista, prevaleceu no final a qualidade técnica dos jogadores rubro-negros e a melhora do time com Rogério Ceni no cargo de treinador. Mauro chama a atenção para o fato de que os dois principais campeões da temporada, o Palmeiras na Libertadores, e o Flamengo no Brasileirão, tiveram atuações ruins na partida decisiva.

"Acabou ficando com o campeonato pela qualidade dos jogadores, o time melhorou com o Rogério, embora seja ainda irregular, para mim é bem claro que o time melhorou, ele fez mudanças importantes, ele ousou bastante na formação da equipe, mudou a estrutura do time e o time conseguiu os resultados que levaram ao título, mas a atuação foi horrorosa", analisa Mauro Cezar.

"Os dois campeões dos títulos mais importantes, um com vitória e um com derrota, mas com atuações muito ruins. A do Palmeiras, que eu critiquei muito aqui, e a do Flamengo ontem, uma atuação ridícula. Eu concordo que a comemoração do título deve haver, óbvio, você ganha o campeonato não é por um jogo, você ganha o campeonato pelo todo, mas aquela atuação contra o São Paulo foi um negócio ridículo, como tomar de 11 a 3 do São Paulo é imperdoável e isso tem que ser discutido dentro do Flamengo", conclui.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas e sextas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter).

A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts. Você pode ouvir, por exemplo, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts, Amazon Music e Youtube --neste último, também em vídeo. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Futebol