PUBLICIDADE
Topo

Futebol

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Mauro: Comparação entre Gabriel Jesus e Gabigol é uma discussão meio boba

Do UOL, em São Paulo

25/02/2021 04h00

Classificação e Jogos

Na vitória do Manchester City diante do Borussia Mönchengladbach, pelas oitavas de final da Liga dos Campeões, o brasileiro Gabriel Jesus foi o autor do segundo gol e saiu de campo elogiado por sua atuação em jogo que deixou a classificação mais próxima para o time comandado por Pep Guardiola.

No Fim de Papo, live pós-rodada do UOL Esporte, Mauro Cezar Pereira analisa a atuação de Gabriel Jesus, rechaça que o jogador seja subestimado e comenta as comparações que são feitas com Gabigol, atacante do Flamengo, que não conseguiu ter o mesmo sucesso no futebol europeu. Para o jornalista, há uma série de questões que fazem com que o jogador do Manchester City tenha conseguido se manter em um grande clube europeu, enquanto o artilheiro do futebol brasileiro na temporada passada ficou aquém na Inter de Milão e no Benfica.

"Aqui no Brasil ele [Gabriel Jesus] se destacaria, como o Gabigol se destaca, como se destacou quando o Palmeiras foi campeão brasileiro. Se ele amanhã fala 'Guardiola, quero voltar para o Brasil, estou com saudades do Brasil', e o City manda ele de volta para o Palmeiras, empresta, ele vai se destacar aqui, creio eu, como o Gabigol se destaca", diz Mauro Cezar.

"Acho horrorosas essas discussões, muito rasas, 'quem é melhor, quem é pior', existem tantas questões envolvidas que acaba sendo às vezes uma discussão meio boba. Um tem carreira internacional sólida e o outro tem uma carreira muito boa aqui no Brasil, um fracassou na Europa e o outro consegue se firmar", completa.

Mauro acredita que Gabriel Jesus tenha chegado na Inglaterra mais com os pés no chão que Gabigol e isso foi um facilitador para que pudesse crescer jogando pelo Manchester City e permanecendo desde a saída do Palmeiras, em 2016, com momentos de alta e de baixa.

"Uma das razões o Gabriel Jesus me parece que é um cara mais consciente, mais humilde, que chegou na Inglaterra para ganhar seu espaço, reserva do Agüero, e vai ali fazendo o seu trabalho, e o Gabigol chegou na Itália achando que era o rei da cocada preta, e não era nada disso, ele é só um garoto brasileiro chegando na Itália para jogar em um dos maiores times da Europa", diz o jornalista.

"Não conseguiu se firmar e também em Portugal, só quando voltou para o Santos que ele conseguiu voltar a fazer gols, com o Cuca, inclusive, e depois no Flamengo, então acho que é uma questão também de postura, de maturidade, de outros elementos que vão além da bola que cada um joga. São jogadores de estilos diferentes, são dois bons jogadores", completa.

"Gabriel Jesus é bom, mas dificilmente será protagonista"

Mauro Cezar reconhece a qualidade de Gabriel Jesus, mas não espera que o jogador brasileiro venha a se tornar um dos maiores atacantes do futebol mundial e tendo o protagonismo em um clube grande como o Manchester City, sendo 'o cara' do time, o que talvez ele pudesse alcançar em um clube menor.

"Ele é um bom jogador, não é um jogador espetacular, ele dificilmente vai ser um dos maiores atacantes do futebol internacional, um destaque absurdo, mas ele é um bom jogador, com momentos de ótimo jogador. Teve uma fase no City que ele ficou muito aquém, acho que ele custou até a alcançar um ritmo compatível, parecia até em alguns momentos um jogador em uma outra rotação, jogador de um nível um pouco mais baixo, mas muito garoto ele foi para lá também, leva tempo, muitas vezes o jogador precisa de um certo amadurecimento", diz o jornalista.

"Ele fez um gol de centroavante hoje mas não é um centroavante, ele mesmo já falou isso várias vezes, gosta mais de jogar saindo da área, indo pelos lados e tal, não é exatamente um homem de área, mas acho que ele é um bom jogador, que funciona bem dentro de uma engrenagem, não acho que ele vá ser, dificilmente ele vai se tornar um grande protagonista de um time, em um grande time eu não vejo, talvez em um time médio se um dia sair do City ele possa ser a estrela, mas acho que ele compõe bem ali", conclui.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Futebol