PUBLICIDADE
Topo

Palmeiras

Abel se revolta e bate boca com juiz: "árbitro pirata, estragaram o jogo"

Do UOL, em São Paulo

19/02/2021 23h46Atualizada em 20/02/2021 01h38

Abel Ferreira ficou revoltado com a atuação da equipe de arbitragem no empate entre São Paulo e Palmeiras, hoje (19), no Morumbi. Com constantes reclamações, o técnico do Verdão afirmou que Leandro Vuaden era "fraco" e um "árbitro pirata", para dizer que marcava faltas apenas para o rival tricolor. Após o jogo, ele pediu desculpas.

"Conseguiram estragar o jogo e depois vêm pedir desculpas", disse Abel, depois de o São Paulo abrir o placar com o gol de pênalti de Luciano. A falta marcada foi o toque na mão de Mayke dentro da área, depois de consulta do VAR.

A irritação começou ainda no primeiro tempo, já que o Palmeiras pediu um pênalti de Bruno Alves em cima de Luiz Adriano. Vuaden nada marcou e nem houve o pedido de checagem do árbitro de vídeo.

A partir deste lance, a cada decisão da arbitragem que não concordava, Abel fazia críticas, em sua maioria captadas pelos microfones da transmissão do Premiere. O termo mais usado foi fraco, além de ter dado um "aviso": "é por isso que vamos embora".

Após muita reclamação, o técnico palmeirense foi advertido com cartão amarelo. Foi o seu terceiro e ele terá de cumprir suspensão automática no jogo de segunda (22), contra o Atlético-GO, pela penúltima rodada do Brasileirão. Depois da partida, o Abel abriu sua entrevista coletiva pedindo desculpas pela postura.

"Sou ser humano, faço meus erros, e hoje não tive o comportamento à altura de treinador do Palmeiras, que é ficar tranquilo, independente do que aconteça no campo. [Quero] Pedir desculpas pelo meu comportamento, independente de eu ter razão ou não. Não posso ter este comportamento", afirmou.

Palmeiras