PUBLICIDADE
Topo

Grêmio

Na mira do Atlético-MG, Renato só ouvirá ofertas após negociar com Grêmio

Renato Gaúcho não está aberto a conversar com qualquer clube antes de negociar com Grêmio - Fernando Alves/AGIF
Renato Gaúcho não está aberto a conversar com qualquer clube antes de negociar com Grêmio Imagem: Fernando Alves/AGIF

Marinho Saldanha e Guilherme Piu

Do UOL, em Porto Alegre e Belo Horizonte

17/02/2021 14h02

Renato Gaúcho não está disposto a conversar com qualquer outro clube antes de sentar à mesa com o presidente Romildo Bolzan Júnior, do Grêmio, e esgotar uma negociação de renovação. O bate-papo ainda não tem prazo para ocorrer, mas impede qualquer outra investida antes disso.

Segundo apurou o UOL Esporte, ainda que o Atlético-MG esteja interessado na chegada do treinador para repor a possível saída de Jorge Sampaoli, Portaluppi dá prioridade total ao clube do qual é o maior ídolo da história, pelos feitos como jogador e técnico.

Renato comanda o Grêmio desde o meio de 2016 e ganhou uma série de títulos importantes, como Libertadores, Recopa e Copa do Brasil. Ainda nesta temporada, terá a chance de ampliar a coleção de taças com a final da Copa do Brasil contra o Palmeiras.

Por outro lado, na entrevista coletiva que sucedeu o jogo contra o São Paulo, o treinador indicou que para renovar quer a garantia de investimentos. Ele sublinhou a diferença em perspectiva de conquistas entre clubes que gastam mais e equipes montadas sob rigor financeiro, caso do Grêmio. O Galo gastou aproximadamente R$ 200 milhões para montagem do elenco deste ano e já está se reforçando de olho na próxima temporada.

Atlético-MG estuda alternativas

A diretoria atleticana já pensa em outros nomes e o de Renato Gaúcho é um dos preferidos. Além dele, o grupo dos 4 R's, composto pelos mecenas que injetam dinheiro no futebol do Galo, analisam o mercado internacional. Um gringo, segundo apurou o UOL Esporte, tem o seu nome guardado a "sete chaves".

Mesmo tendo contrato até o fim de 2021, Sampaoli não é mais unanimidade entre os dirigentes alvinegros. O estilo 'marrento' do treinador, tido pelos antigos e até os novos gestores do clube, como "muito cheio de si", incomoda. É que o argentino, segundo informações de bastidores, "não aceita receber ordens e quer mandar até no que não lhe é de direito", comentou uma fonte.

Como publicou o UOL, Sampaoli vive um círculo vicioso na carreira e sempre arruma algum tipo de problema ou desavença em suas saídas dos clubes. Tudo em um curto espaço de tempo entre a euforia por sua chegada e comemorações pelas saídas, na maioria das vezes conturbadas. Foi assim no Sevilla, da Espanha, no Santos, no fim de 2019, é um filme que se assemelha agora no Galo.

Tanto que, com ou sem acordo com o Olympique de Marselha, da França, Sampaoli deve dar adeus ao Atlético-MG ao fim do Campeonato Brasileiro, em 24 de fevereiro.

O jornal AS, da Espanha, já afirma que o treinador tem acerto com o time de Marselha até 2023.

Grêmio