PUBLICIDADE
Topo

Internacional

"Operação Flamengo": Como Inter se arma para jogo que pode encerrar jejum

Jogadores do Inter comemoram vitória sobre o Vasco e vivem semana decisiva - Ricardo Duarte/Inter
Jogadores do Inter comemoram vitória sobre o Vasco e vivem semana decisiva Imagem: Ricardo Duarte/Inter

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

15/02/2021 04h00

O Internacional inicia a "operação Flamengo" para o jogo de domingo (21), que pode valer o fim de um jejum de 41 anos no do Colorado sem conquistar o Campeonato Brasileiro. Uma vitória garante o tetracampeonato ao Inter. De olho na decisão, o clube se prepara dentro e fora de campo.

A primeira atitude ocorreu nos momentos que sucederam a vitória sobre o Vasco. Percebendo um ambiente que tratava a polêmica sobre a não utilização do VAR no gol de Rodrigo Dourado como benefício ao Colorado, o presidente Alessandro Barcellos pediu para falar. Em entrevista coletiva, pontuou lances no sentido contrário, em que entendeu que sua equipe estava sendo prejudicada.

"Hoje (domingo) teve um pênalti que não existiu. O atleta do Vasco chuta o chão, e o Cuesta ganha o cartão amarelo, está fora do próximo jogo. Estamos em uma semana decisiva. O Patrick na semana passada toma um cartão amarelo e fica fora do jogo de hoje por uma pretensa simulação. Hoje os jogadores do Vasco fizeram isso duas vezes e nada foi marcado", afirmou Barcellos.

"Precisamos falar em nome do clube, dizer que não aceitamos este tipo de arbitragem, este tipo de movimento que estamos vendo. Estamos atentos. É a hora da onça beber água, e queremos que o resultado de campo seja justo. Não vamos aceitar interferências externas no campeonato, ele precisa se definir dentro das quatro linhas", completou.

Na mesma manifestação, Barcellos explicou que o clube não irá procurar a CBF, mas sabe que suas palavras irão reverberar pelos mais diversos meios de comunicação como a construção de uma postura, de um ambiente que alerta para qualquer deslize que possa ocorrer, para qualquer lado.

"Tudo tem que funcionar, não existe não funcionar. É a credibilidade do futebol que está em jogo. Não sei se a arbitragem está sendo tendenciosa, mas sou obrigado a falar em nome de todos. Não aceitamos que um ano de trabalho seja colocado em dúvida por um erro dessa natureza. É fundamental que se tenha esta clareza", afirmou, citando o pênalti marcado em Cano, no lance que rendeu o amarelo que tira Custa do jogo contra o Flamengo.

Dentro de campo, tranquilidade e "tudo igual"

Se nos bastidores o Inter firma posição, dentro de campo quer manter "tudo igual". Abel Braga tomou a frente e defendeu a arbitragem dizendo que os juízes são muito pressionados.

"Você já se colocou no lugar deles? Você já se colocou no meu lugar? No lugar do Luxemburgo [técnico do Vasco]? É uma pressão imensa", disse, em entrevista coletiva.

Segundo o treinador, a rotina será exatamente igual à que tem ocorrido até então. Treinamentos, sessões de análise do adversário, dúvidas e trabalhos visando encontrar uma fórmula de vencer para tirar o Inter da fila no Brasileirão. Desde 1979 que o Colorado não ergue a taça.

"Não tem preparação especial, não temos que nos meter nisso [arbitragem]. A direção sabe como agir. Não muda nada, ninguém terá temor algum. O corajoso é aquele que pensa que não tem medo. Não temos medo de ninguém", afirmou o técnico.

"Não tenho visto todos os jogos do Flamengo. Essa semana vou ver muito. Nossa média com o departamento de análise de desempenho é no mínimo seis e no máximo dez coisas importantes nos últimos oito jogos ou dez jogos do próximo adversário. Tem sido assim quando temos semana aberta e cheia [sem jogos]. Então, por enquanto nada passa pela minha cabeça. Sei que vamos enfrentar um grande time, mas eles sabem que não podem sair demais também porque senão é complicado", comentou.

A meta do treinador é evitar que a pressão possa ter influencia negativa nos jogadores. Por isso, trabalhará por um ambiente de "dias normais" mesmo antes de um jogo tão importante.

"Não adianta começar a criar pressão, isso não vai ajudar em nada, não adianta nada, ainda pode nos prejudicar", disse.

Mas a condição é inegável. Sem vencer o Brasileirão desde 1979, o Inter poucas vezes esteve tão perto. Basta vencer o Flamengo e conquistará o título já no próximo domingo. Caso contrário, levará a decisão para a partida final, quando vai encarar o Corinthians e o time carioca pegará o São Paulo.

Internacional