PUBLICIDADE
Topo

Palmeiras

Torcida do Palmeiras causa aglomeração na região do Allianz; PM isola ruas

Gabriel Toueg e Yago Rudá

Colaboração para o UOL, em São Paulo

30/01/2021 17h28

Os bares e estabelecimentos comerciais que realizam a venda de bebidas alcoólicas nos entornos do Allianz Parque, zona oeste da cidade de São Paulo, foram obrigados a fecharem as portas na tarde de hoje. A Prefeitura trabalha para coibir a aglomeração de torcedores do Palmeiras durante a final da Copa Libertadores, contra o Santos, no Maracanã. A Polícia Militar isolou os torcedores em duas ruas e fechou os acessos próximos ao estádio.

De acordo com as informações passadas pela Secretaria Municipal de Saúde, há um trabalho coordenado para fechar as portas dos bares e auxiliar na contenção do acúmulo de torcedores nas ruas próximas ao estádio do Palmeiras. Ainda hoje, a Covisa (Coordenadoria de Vigilância em Saúde) prepara uma ação para fechar as portas dos estabelecimentos comerciais em outros pontos da região.

Horas antes do início da partida no Maracanã, os palmeirenses começaram a se aglomerar nos entornos do Allianz Parque para acompanharem a decisão da Copa Libertadores. A Polícia Militar está fechando os acessos nas ruas próximas ao estádio e isolou as aglomerações dos torcedores nas ruas Caraíbas e Diana, uma paralela à outra.

No intervalo da partida no Maracanã, houve princípio de tumulto ocasionado pela empolgação dos torcedores palmeirenses, que chegaram a disparar rojões. A Polícia Militar dialogou com líderanças da torcida do Palmeiras a fim de evitar qualquer tipo de confusão entre o grupo.

O repositor Carlos Santos Souza, de 29 anos, era um dos palmeirenses presentes na aglomeração. Segundo ele, caso o Alviverde venha a conquistar a Copa Libertadores hoje, nem mesmo os agentes da Prefeitura ou a Polícia Militar conseguirão barrar a festa da torcida.

"Vamos em mais de 200 pessoas num bar, aí todo mundo junto não dá para barrar", afirmou.

Já o personal trainer Cristiano Ferro, 34, e a empresária Carolina Santos, 33, assistiam ao jogo em uma fila de torcedores diante de um bar na esquina entre as ruas Caraíbas e Ministro Ferreira Alves. Eles criticaram o plano do governo 'porque atrapalha muita gente', mas disseram que, se o Palmeiras vencer, devem comemorar em casa.

"É triste esse fechamento, porque bloqueia tudo, não só o comércio, e atrapalha muita gente".

O Estado de São Paulo está na 'fase vermelha' do plano de contenção ao covid-19. Segundo o documento publicado pelo governo, apenas serviços essenciais (supermercados, farmácias, postos de gasolina) podem funcionar com o alerta vermelha.



Palmeiras