PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Palmeiras x Santos: Tite vai à final da Libertadores estudar os finalistas

Cléber Xavier, César Sampaio, Rodrigo Caio e Tite durante treino da seleção na Granja Comary - Lucas Figueiredo/CBF
Cléber Xavier, César Sampaio, Rodrigo Caio e Tite durante treino da seleção na Granja Comary Imagem: Lucas Figueiredo/CBF

Thiago Ferri

Do UOL, no Rio de Janeiro

30/01/2021 12h59

Tite, técnico da seleção brasileira, estará no Maracanã para assistir à final da Copa Libertadores, entre Palmeiras e Santos, hoje (30), às 17h. Como publicou a coluna De Primeira do UOL Esporte, serão oito membros da CBF no confronto para analisar os finalistas. No Palmeiras, Weverton e Gabriel Menino já vêm sendo convocados, enquanto Lucas Veríssimo e Marinho estão em alta no Santos.

"O Weverton e o Menino a gente já convocou, tivemos experiências. O Weverton em jogos no início das Eliminatórias, e o Menino em treinamentos. Estamos acompanhando com uma lupa um pouco mais próxima, digamos assim. O Marinho é um diferencial técnico ofensivo do Santos, não só com gols e assistências, mas um jogador muito perigoso. O Veríssimo também tem sido um atleta não só de imposição física, mas um líder, com boas construções. Pituca, também", disse César Sampaio, auxiliar da seleção brasileira, ao UOL Esporte.

Além de Tite e Sampaio, vão ao Maracanã o auxiliar Cleber Xavier, o analista de desempenho Bruno Baquete, o preparador físico Fábio Mahseredjian, o fisiologista Guilherme Passos, o assessor de comunicação Vinicius Rodrigues e o coordenador da seleção Juninho Paulista.

"Estes jogos servem para nós contrapormos modelos, e um jogador que se destaca em um jogo desse, a gente entende que tem estrutura para representar bem o país, poder vestir a camisa da seleção e cumprir com o que entendemos ser o melhor para o país", acrescentou.

A comissão técnica da seleção brasileira está em reta final de análise para convocar o grupo que disputará os jogos das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022, em março. Dia 25, haverá o confronto com a Colômbia, fora de casa, e no dia 30, o clássico com a Argentina, na Arena Pernambuco.

"A gente sempre analisa algo que possa ajudar individualmente, setorial, intersetorial ou sistêmico, um modelo que a gente possa extrair alguma coisa. O Tite sempre diz, no futebol a gente sempre rouba alguma coisinha dos vencedores (risos), daqueles que tem algum diferencial para aprimorar nosso modelo. É nossa função quando a gente vai fazer as observações 'in loco'", completou Sampaio.

Formado no Santos, mas ídolo no Palmeiras, clube pelo qual venceu a Copa Libertadores de 1999, o ex-volante preferiu não escolher um time para torcer na decisão de logo mais.

"A gente chega em um momento que é o profissionalismo, né? Eu já vivi grandes emoções jogando contra o Santos e contra o Palmeiras e na seleção. Eu comentei anteriormente que fico feliz que nesta final eu não perco (risos). De uma forma ou de outra temos laços afetivos com os dois lados. Estamos felizes pela Libertadores ficar no Brasil, é uma conquista para nós e que vença o melhor", concluiu.

Futebol