PUBLICIDADE
Topo

Cruzeiro

Time japonês tenta empréstimo de Cacá, mas Cruzeiro só aceita venda

Cacá está chateado com o departamento de futebol do Cruzeiro por situação que envolveu o nascimento de seu primeiro filho - Alessandra Torres/AGIF
Cacá está chateado com o departamento de futebol do Cruzeiro por situação que envolveu o nascimento de seu primeiro filho Imagem: Alessandra Torres/AGIF

Guilherme Piu

Do UOL, em Belo Horizonte

28/01/2021 14h45

Em busca de dinheiro pela crise financeira instaurada no clube, o Cruzeiro precisa vender alguns de seus ativos para movimentar o caixa. Uma das possibilidades, e que tem boa aceitação no mercado, é o jovem zagueiro Cacá, de 21 anos. O jogador está na mira de clubes do exterior, mais precisamente do Japão, e empresários já manifestaram aos dirigentes celestes a intenção de contratar o defensor.

Porém, até agora, não chegou nenhuma proposta oficial de compra por Cacá, apenas a intenção de empréstimos pagos de três equipes japonesas, segundo o empresário do jogador.

"São três clubes do Japão que procuraram, mas apenas uma proposta oficial de empréstimo com os direitos fixados", explicou Bruno Vicintin, um dos responsáveis por agenciar a carreira do zagueiro.

Segundo apurou o UOL Esporte, a proposta de empréstimo não agradou ao Cruzeiro, que só quer conversar sobre venda dos direitos econômicos do jogador, que está há três meses sem receber salários.

Mesmo com essa condição do Cruzeiro, que ainda não efetuou pagamentos ao grupo de jogadores, Cacá não pretende acionar o clube na Justiça pelo carinho que tem com a Raposa. Entretanto, ainda de acordo com informações obtidas pela reportagem, a permanência do zagueiro no Cruzeiro é "muito difícil" para 2021.

O interesse do mercado asiático em Cacá foi revelado pela Rádio 98 FM, de Belo Horizonte, e confirmado pelo UOL.

Chateação

Cacá ficou magoado com o departamento de futebol do Cruzeiro pela condução do caso relacionado ao nascimento de seu filho. Em um primeiro momento, os dirigentes celestes, por influência do então diretor de futebol Deivid, segundo apurações do UOL Esporte, não queriam liberar o atleta para retornar a Belo Horizonte. O jogador estava na concentração em Chapecó para o jogo contra a Chapecoense, na 23ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B, e recebeu a notícia de que sua esposa entrava em trabalho de parto para o nascimento do seu primeiro filho.

Depois de muita negociação, Cacá, que chegou a perder um voo pela demora na liberação dos dirigentes, acabou liberado, voltou à capital mineira após muita conversa, mas perdeu vaga no time pela irritação de Luiz Felipe Scolari.

Cruzeiro