PUBLICIDADE
Topo

Santos

Da várzea à final, Lucas Braga vive sonho: "Até a coberta dele é do Santos"

Lucas Braga na infância já com a camisa do Santos - Arquivo Pessoal
Lucas Braga na infância já com a camisa do Santos Imagem: Arquivo Pessoal

Eder Traskini

Do UOL, no Rio de Janeiro

28/01/2021 04h00

"Mamãe, daqui para frente eu sou santista", disse um jovem de 9 anos já devidamente trajado com a camisa alvinegra. O sonho de ser jogador de futebol ganhava aí um degrau a mais: tinha de ser pelo clube do coração. O garoto se chama Lucas, sua mãe é Nilza Braga, e essa é a improvável história do camisa 36 do Santos, que saiu da várzea para a final da Libertadores com a camisa santista, neste sábado (30), às 17h, contra o Palmeiras.

O sonho de Lucas Braga não era diferente de grande parte dos brasileiros. Para ser jogador de futebol, ele entrou na escolinha do Meninos da Vila em São Paulo, onde morava. Por mais de uma vez, o menino se arriscou em testes na base do Peixe, mas teve de se conformar com as reprovações. Ou não, como sabemos hoje:

Desde pequeno tinha o sonho de ser jogador, e jogador do Santos. Ninguém tirava isso da cabeça dele. Quando ele estava com cinco anos colocamos ele na escolinha, fez dois testes no Santos, mas não passou. Mas ele não desistiu do sonho, continuou correndo atrás. Ele foi crescendo e começou a jogar no bairro, pelos campos da vida, e hoje está realizando."
Nilza Braga, mãe de Lucas, ao UOL Esporte.

Os 'campos da vida' citados por dona Nilza eram os do futebol de várzea e os projetos sociais. Foi frequentando um desses projetos que Lucas Braga se animou novamente com a possibilidade de virar jogador profissional. Até chegar ao Santos, porém, o atacante precisou de uma longa caminhada.

"Quando já estava com 18 anos e praticamente desistindo, ele foi para o 'Projeto Camisa 4', em Bragança Paulista com o ex-jogador Emerson Aleixo, que deu um ânimo. Em três meses, foi mandado pra Itália e ficou lá sete meses. Daí voltou e fez um teste no J Malucelli [clube paranaense], com o ex-jogador Milton do Ó. Depois foi para o Batel, em Guarapuava-PR, aí Luverdense-MT e Santos", contou Fábio Ribeiro, pai do jogador, em entrevista ao UOL Esporte.

Santos, enfim Santos. Com 'ajuda' de Luiz Felipe

Lucas estava no Luverdense, equipe do Mato Grosso, quando o sorteio da Copa do Brasil definiu o Santos como o adversário pelas oitavas de final. Oportunidade única e que o jogador, do jeito que dava, aproveitou.

"Quando estava com apenas três meses jogando profissionalmente, o Luverdense enfrentou o Santos pela Copa do Brasil e o técnico Luizinho Vieira gostou muito dele e o colocou pra jogar. Apesar da eliminação, ele jogou relativamente bem. Quando o Miguel [Calluf Neto, empresário de Lucas] foi renovar o contrato do Luiz Felipe, apresentou o Lucas para o presidente [José Carlos Peres], que lembrou dos jogos pela Luverdense", contou o pai do atleta.

Homenagem às influências santistas

Lucas Braga com a mãe - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Imagem: Arquivo Pessoal

Lucas escolheu o sobrenome Braga como forma de homenagem para quem fez dele santista: a mãe e o avô, donos do sobrenome. Segundo Nilza, não foi difícil fazer de Lucas um santista.

"Tinha um são-paulino, que é o pai, um palmeirense, que é o tio, eu e o avô santistas. Um belo dia, lá vem o Lucas com a camisa do Santos e fala: 'mamãe, daqui pra frente eu sou santista'. Desde pequeno ele sempre falava que ia ser assim, mas aí assumiu de vez. Não tirava mais as camisas, fugia para ir ao estádio escondido. Aí eu falei, esse já está contaminado pela mãe."

Amor antes do sucesso

Foi antes de se tornar jogador profissional que Lucas conheceu Jeniffer Crescêncio, com quem se casou em novembro do ano passado. O namoro praticamente começou à distância: os dois se aproximaram mais quando o atleta estava na Itália pelo projeto Camisa 4.

As famílias de Lucas e Jeniffer sempre foram próximas e ela já percebia olhares do atacante santista quando eram pequenos. Quando os dois revelaram o namoro, ninguém na família se surpreendeu.

"Na minha festa de 15 anos, a mãe dele falou pra mim: 'meu filho te acha muito bonita, será que você poderia ir lá e tirar uma foto com ele?'. Aí eu fiquei, gente como que eu vou tirar uma foto com ele? Chegar lá e pedir, falar que a mãe dele tinha pedido? Não, né. A gente tem uma foto dessa época com a galera, mas, por incrível que pareça, o Lucas ficou do meu lado", contou Jeniffer ao UOL Esporte.

O relacionamento seguiu quase sempre à distância, enquanto Lucas perseguia o sonho de ser jogador por todos os caminhos que o futebol levou. Quando chegou a proposta do Santos, a felicidade aumentou ainda mais.

Lucas Braga na infância - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Imagem: Arquivo Pessoal

"Ele esperou pra me contar pessoalmente, falou do pré-contrato e pediu pra não falar por enquanto. Ele é muito cabeça, gosta de falar só quando realmente tem certeza. Falou que o Santos tinha interesse e ele estava muito feliz. Ele é muito santista. O quarto dele é do Santos, até a coberta é do Santos."

Naquela época, eu ouvia muito que meu namorado estava perdendo tempo e correndo atrás de um sonho perdido. Mas graças a Deus o sonho perdido deu certo."
Jeniffer Crescêncio, mulher de Lucas Braga, ao UOL Esporte

Previsão em solo argentino

Lucas Braga com a esposa, Jeniffer, em La Bombonera - Reprodução/Instagram - Reprodução/Instagram
Imagem: Reprodução/Instagram

Em dezembro de 2019, Lucas Braga e Jeniffer estavam em La Bombonera, lendário estádio do Boca Juniors, durante viagem à Argentina. Do estádio, Jeniffer fez uma previsão.

"Vida, daqui uns dias você estará jogando por aqui", postou Jeniffer em sua conta no Instagram, e completou: "ele, doce como sempre, me olhou e disse de imediato 'amor, você não sabe onde estamos né? Rs".

Em janeiro de 2021, lá estava Lucas Braga de volta à Bombonera, dessa vez sem público na arquibancada, mas uma diferença ainda mais relevante: ele vestia a camisa do Santos em campo. Pelo jogo de volta, na Vila Belmiro, o atacante não só atuou como marcou o gol que fechou a vitória por 3 a 0 que classificava o Peixe para a final da Libertadores.

Santos