PUBLICIDADE
Topo

Cruzeiro

Cruzeiro busca sétimo técnico em um ano e meio após longo trabalho de Mano

Depois de Mano, passaram pelo Cruzeiro Ceni, Abel, Adilson, Enderson, Ney Franco e Felipão - Cruzeiro/Divulgação
Depois de Mano, passaram pelo Cruzeiro Ceni, Abel, Adilson, Enderson, Ney Franco e Felipão
Imagem: Cruzeiro/Divulgação

Guilherme Piu

Do UOL, em Belo Horizonte

27/01/2021 04h00

Classificação e Jogos

O ano de 2019, temporada que marcou o rebaixamento do Cruzeiro à Série B, foi um divisor de águas negativo para o clube celeste, que passou de time que prezou pela manutenção de técnico por mais de três anos à máquina de moer treinadores. Sem comandante há dois dias desde a saída de Luiz Felipe Scolari, a Raposa deu início à procura pelo sétimo treinador no período de um ano e cinco meses.

Após a saída de Mano Menezes, em agosto de 2019 — havia voltado ao clube em julho de 2016 —, as diretorias que estiveram à frente do Cruzeiro contrataram seis treinadores: Rogério Ceni, Abel Braga, Adilson Batista (os três primeiros na gestão Wagner Pires de Sá), Enderson Moreira (conselho gestor), Ney Franco e Felipão (Sérgio Santos Rodrigues). Agora, caberá ao atual presidente contratar o terceiro técnico de sua recente gestão, que sequer completou um ano, pois ela teve início em junho de 2020.

O preferido da atual diretoria é Felipe Conceição, que está desde outubro no Guarani e fez campanha de recuperação com o Bugre na Série B do Campeonato Brasileiro. Conceição assumiu o time de Campinas na vice-lanterna e conseguiu o feito de brigar por vaga no G4. Entretanto, acabou ficando pelo caminho com a perda de força na reta final da competição, e, também, pelo surto de Covid-19 que acometeu o elenco bugrino. Foram 17 jogadores infectados e isso atrapalhou bastante o desempenho do grupo.

Apesar do desejo da Raposa, não será fácil convencer o treinador a deixar o Guarani. Felipe Conceição disse ao fim do ano passado que tinha um compromisso com o atual presidente do clube paulista, Ricardo Moisés, com quem firmou um compromisso até o fim de 2021. O treinador recebeu investidas recentes do Coritiba, que luta contra o rebaixamento na Série A, e três propostas do Cuiabá, todas rejeitadas.

Conceição brincou e chegou a dizer que não sairia do Guarani nem se aparecesse uma proposta do Flamengo.

"Nem se o Flamengo [viesse], hoje não. Eu tenho a palavra com o presidente [Ricardo Moisés, do Guarani], eu vou cumprir. E além disso, da palavra e do ambiente que eu tenho com os atletas, da autonomia que eu tenho para trabalhar aqui, enfim, vários fatores que ajudam você a ser firme na posição. Eu tenho os meus valores também e quero construir eles assim na minha carreira", disse à EPTV, emissora de TV afiliada à Globo, em novembro do ano passado.

A exceção da saída de Luiz Felipe Scolari, que pediu para sair do Cruzeiro, todos os outros técnicos foram demitidos do clube.

Período de cada treinador no Cruzeiro

Mano Menezes - 1 de setembro de 2015 a 8 de agosto de 2019
Rogério Ceni - 11 de agosto de 2019 a 26 de setembro de 2019
Abel Braga - 27 de setembro de 2019 a 29 de novembro de 2019
Adilson Batista - 29 de novembro de 2019 a 15 de março de 2020
Enderson Moreira - 18 de março de 2020 a 8 de setembro de 2020
Ney Franco - 9 de setembro de 2020 a 11 de outubro de 2020
Felipão - 15 de outubro de 2020 a 25 de janeiro de 2021

Cruzeiro