PUBLICIDADE
Topo

Vasco

Um mês após adeus, Benítez conduz Vasco e confirma status decisivo

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

24/01/2021 04h00

Do adeus à peça-chave. A vitória contra o Atlético-MG indicou a importância que o meia Martín Benítez tem no atual time do Vasco, que luta para fugir do rebaixamento no Campeonato Brasileiro. Não à toa, a diretoria fez um esforço para mantê-lo e, agora, a comissão técnica estuda o melhor planejamento para não perdê-lo nesta reta final e decisiva da competição.

O confronto com o Galo aconteceu quase um mês depois de o Cruz-Maltino anunciar a saída do jogador, que, à época, voltaria ao Independiente, da Argentina, após os clubes não conseguirem um acordo para a prorrogação do vínculo.

Já ciente do valor que o camisa 10 teria na ingrata missão para fugir da degola, o Vasco não desistiu e conseguiu um final feliz na negociação com o hermanos, renovando o empréstimo até o meio deste ano. Para a sorte da torcida, as lamentações deram espaço à celebração.

O técnico Vanderlei Luxemburgo, inclusive, ajudou nestas tratativas e conversou com o próprio Benítez antes do retorno.

"Estou muito feliz porque o Vasco te gera algo, o torna um torcedor a mais do clube. Estava com muita vontade de voltar. O treinador me chamou, e estou muito agradecido. Estou com muita gana de voltar a jogar, sei que preciso de tempo para me recuperar", disse, em entrevista no último dia 14.

Com o primeiro obstáculo deixado para trás, agora, a comissão técnica traça os próximos passos para que ele não se torne ausência. O jogador teve um edema na panturrilha no fim do ano passado. Somou-se a isso, um período sem treinar em meio ao imbróglio contratual.

Até por conta desse cuidado, o jogador não integrou o elenco que foi para Bragança Paulista e perdeu para o Red Bull Bragantino. Contra o Atlético-MG, porém, foi titular e participou da jogada de dois gols, sendo, inclusive, um dos protagonistas no lance do terceiro gol — que arrancou elogios do treinador.

"O Benítez fez função tática importantíssima por que ele vinha fazer o lado direito como terceiro homem de meio de campo, Léo Gil pela esquerda e o Benítez pela direita, com Bruno Gomes por trás. Quando saía as jogadas sempre iniciavam com ele. Jogou bem no primeiro tempo até os 30 minutos, buscando o jogo. Voltou bem no segundo tempo, jogou mais do que deveria. Pedia para ficar mais um tempo. É malandro, experiente e segura a bola. Fiquei esperando ele me dizer quando seria a hora de trocar", afirmou Luxa.

Agora, o Vasco busca recuperar Benítez para tê-lo 100% no confronto de terça-feira, com o Palmeiras, em partida adiada da primeira rodada do Brasileiro. A presença do meia ainda é uma incógnita, mas uma nova vitória pode fazer o Cruz-Maltino respirar um pouco mais longe da "zona da confusão". Caso o camisa 10 não atue, Luxemburgo pode optar por Carlinhos ou algum jovem da base.

Vasco