PUBLICIDADE
Topo

Corinthians

Joia do Corinthians chegou a largar o futebol para ser padeiro no interior

O atacante do Corinthians sub-20 Cauê durante partida contra o Grêmio pelo Brasileirão da categoria - Rodrigo Gazzanel/Agência Corinthians
O atacante do Corinthians sub-20 Cauê durante partida contra o Grêmio pelo Brasileirão da categoria Imagem: Rodrigo Gazzanel/Agência Corinthians

Eder Traskini

Do UOL, em Santos (SP)

23/01/2021 04h00

Para alguns, o futebol é um esporte glamouroso que envolve, sim, trabalho, mas acompanhado de muito dinheiro e fama. Para outros, a luta é mais dura e diária. Cauê, joia do sub-20 do Corinthians, pertenceu aos outros e foi até padeiro no interior de São Paulo, entretanto, está cada vez mais próximo dos "alguns".

Artilheiro do Timão no Brasileiro sub-20, Cauê já chama atenção e treina constantemente entre os profissionais. Ele soma convocações para as seleções brasileiras de base e foi destaque no último quadrangular internacional disputado pela seleção sub-20. A projeção é que ele esteja na equipe de cima na próxima temporada.

Natural de Guará, interior de São Paulo, o centroavante foi revelado pelo Novorizontino, mas antes de ser descoberto pela equipe da cidade que fica a 300 km, Cauê precisou pausar o sonho de ser jogador de futebol aos 13 anos para ajudar a família. Para ajudar com uma renda extra em casa, ele conseguiu um emprego em uma padaria do bairro.

"Com 13 anos tive que parar com o futebol, precisei trabalhar para ajudar minha família e entrei em uma padaria. Comecei como entregador e depois me tornei ajudante de padeiro. Estudava de manhã e trabalhava à tarde durante um ano. Era pra continuar, mas mudei meu horário na escola para tarde e eles me dispensaram. Depois disso ainda trabalhei com meu pai em uma estamparia por oito meses", contou em entrevista ao UOL Esporte.

Após esse período, Cauê disputou a Copa Guará e chamou atenção do Novorizontino, onde realizaria o sonho de se tornar jogador profissional com apenas 16 anos. Ele atuou no duelo entre sua equipe e a Ferroviária no Paulistão de 2019. Logo despertou interesse do Corinthians.

"Consegui jogar profissionalmente no Novorizontino e foi um dia que me marcou muito. Sempre sonhei, foi uma emoção muito grande pra mim e pra minha família e amigos. Tinha chegado no Novorizontino com 14 anos. Fiquei sabendo depois do treino que iria para o jogo e já liguei para minha mãe. Na época já tinha algumas conversas com o Corinthians, mas nada certo", lembrou.

Não demorou muito, porém, para tudo dar, sim, certo e Cauê se transferir para o Timão ainda naquele ano. O Corinthians aposta tanto no jovem centroavante que não dificultou a saída de Boselli no fim do ano passado já pensando em utilizar Cauê.

"Plano é subir para o profissional e estar lá entre jogadores incríveis. Estou fazendo meu trabalho no sub-20 junto com meus companheiros para quando surgir essa oportunidade poder aproveitar da melhor maneira, conquistar muitos títulos, fazer muitos gols e dar alegria para toda a Fiel", afirmou o atacante.

Corinthians