PUBLICIDADE
Topo

Vasco

Juiz impede posse de Salgado e estende mandato de Campello no Vasco

Presidente Alexandre Campello estava prestes e "passar o bastão" para Jorge Salgado no Vasco - Bruno Braz / UOL Esporte
Presidente Alexandre Campello estava prestes e "passar o bastão" para Jorge Salgado no Vasco Imagem: Bruno Braz / UOL Esporte

Alexandre Araújo e Bruno Braz

Do UOL, no Rio de Janeiro

22/01/2021 16h18Atualizada em 22/01/2021 17h49

Um enredo sem fim. Quando tudo já parecia estar encerrado, eis que uma decisão do juiz Paulo Roberto Correa, da 7ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ), causou uma reviravolta no processo eleitoral do Vasco. O magistrado acatou uma liminar dos apoiadores do candidato Leven Siano, anulou a sessão solene de hoje (22) que daria posse aos conselheiros de Jorge Salgado e Julio Brant — respectivamente primeiro e segundo colocado na eleição do dia 14 de novembro de 2020 —, estendeu o mandato do presidente Alexandre Campello até o julgamento do mérito e solicitou à empresa "Eleja Online", que geriu a votação virtual, a lista de votantes num prazo de cinco dias.

A ação foi movida pelo 1º vice-presidente geral do clube, Elói Ferreira, e por mais 12 sócios. Todos eles, incluindo o dirigente, são apoiadores de Leven na política cruzmaltina. A informação inicial foi dada pelo "ge" e confirmada pelo UOL Esporte.

Desta forma, além do cancelamento da posse dos conselheiros, a votação para os integrantes dos conselhos Deliberativo e Fiscal também está suspensa.

A sessão solene de hoje havia sido convocada por Alexandre Campello baseada no artigo 99 do estatuto do clube. O mandatário considerou a convocação anterior para o próximo dia 25 — feita pelo presidente do Conselho Deliberativo, Roberto Monteiro — um ato nulo, alegando que a carta magna vascaína é clara em afirmar que o evento precisa ocorrer na primeira semana da segunda quinzena de janeiro.

Vasco quer impedimento de juiz

A grande polêmica gira em torno do juiz Paulo Roberto Correa. Ele é sócio estatutário do clube e votou na eleição do dia 7. Em fotos antigas, aparece ao lado do ex-presidente Eurico Miranda, que faleceu em 2019, mas que tem ainda seus grupos políticos ativos e a maioria deles apoia Leven Siano.

Por conta destas situações, o Vasco protocolou um pedido no processo para que o magistrado declarasse impedimento ou suspeição.

Grupo de Salgado mantém cronograma e recorrerá

Pelo lado de Salgado há o entendimento de que essa decisão será derrubada com certa tranquilidade ainda hoje ou, no mais tardar, na próxima segunda-feira (25), dado a sentença feita pelo colegiado do TJ-RJ, que anteriormente havia declarado a eleição do dia 14 como válida.

Em comunicado oficial, seu grupo afirmou que manterá o cronograma para a sessão solene desta sexta:

"Com relação à decisão judicial de hoje, nosso corpo jurídico está avaliando a situação para definir as próximas providências. Nosso cronograma para a Sessão Solene dessa noite se mantém o mesmo".

Monteiro publica "edital de desconvocação"

Após a decisão da 7ª Vara Cível, Roberto Monteiro publicou um "edital de desconvocação" tanto da sessão solene marcada por Campello para hoje (22), quanto para a que ele próprio marcou para a próxima segunda (25)

Campello alfineta

Após a decisão judicial, Alexandre Campello utilizou seu Twitter para alfinetar os apoiadores do Leven, muitos deles que foram seus opositores durante os três anos de gestão:

Vasco