PUBLICIDADE
Topo

Vasco

Luxa e Pássaro, do Vasco, reclamam da arbitragem em gols do Red Bull

Do UOL, no Rio de Janeiro

21/01/2021 00h32

Classificação e Jogos

O técnico do Vasco, Vanderlei Luxemburgo, e o diretor-executivo, Alexandre Pássaro, ficaram na bronca com a arbitragem na goleada sofrida por 4 a 1 para o Red Bull Bragantino. Na avaliação deles, houve falta em Andrey no lance que originou o terceiro gol dos paulistas, quando o placar ainda estava em 2 a 1.

"Só tenho a lamentar. Não reclamo em si da arbitragem. Os árbitros são corretos, eles erram pois são seres humanos. Eu só acho que deixar o jogo correr acaba com o critério. Assim, marca uma falta e não marca outra igual. Teve uma do Carlinhos que ele deu. E no Andrey, ele não deu e saiu o gol. Falta é falta. Não pode deixar o jogo correr assim. A meu ver, a falta no Andrey, que ele não deu, foi igual a uma que ele deu do Carlinhos no ataque. Deixou um seguir e outro não. Não estou reclamando porque não deu a falta no Andrey. Estou reclamando que deu a falta no Carlinhos e depois houve um lance parecido ou igual, a meu ver", disse Luxa.

Já Alexandre Pássaro subiu o tom e disse "repudiar" a atuação do árbitro gaúcho Leandro Vuaden, também batendo na tecla de uma suposta falta de critério do profissional.

"Venho aqui, em nome da diretoria do Vasco, dos atletas, do professor Vanderlei, repudiar a atuação da arbitragem na partida de hoje. Gostaria de entender... Se alguém pudesse perguntar ao Vueden... Como ele pode dar uma falta que origina o segundo gol do Bragantino? Uma falta onde, na linha de fundo, o jogador cava uma bola por cima de dois jogadores nossos, tromba com dois, e ele dá a falta. E a falta, é a origem do gol do Claudinho. E como ele não pode dar essa falta em cima do Andrey no terceiro gol?", indagou.

Em seguida, o diretor-executivo vascaíno alfinetou Leonardo Gaciba, presidente da Comissão Nacional de Arbitragem da CBF:

"Não estamos justificando performance, resultado, momento, posição na tabela. Estamos exigindo que a arbitragem, comandada pelo Gaciba, que há muito tempo não se vê, tenha o mesmo nível de cobrança, exigência e profissionalismo que nos é exigido por todos. No terceiro gol ele (Vuaden) não foi ver o VAR".

Vasco