PUBLICIDADE
Topo

São Paulo

Diniz mexe pouco e falha na busca por soluções contra crise no São Paulo

Fernando Diniz encontra dificuldades em busca por soluções para a escalação do São Paulo - Bruno Ulivieri/AGIF
Fernando Diniz encontra dificuldades em busca por soluções para a escalação do São Paulo Imagem: Bruno Ulivieri/AGIF

Thiago Fernandes

Do UOL, em São Paulo

19/01/2021 04h00

Classificação e Jogos

Fernando Diniz encontra dificuldades na busca por soluções contra a crise no São Paulo. Em meio ao mau momento no Brasileirão — já são três jogos sem vencer —, o técnico se vê sem peças importantes e segue preso a escolhas do passado para reencontrar os resultados positivos.

A equipe não sabe o que é obter um triunfo desde 26 de dezembro passado, quando bateu o Fluminense por 2 a 1, pela 27ª rodada. De lá para cá, o técnico perdeu Luciano, Luan, Arboleda, Bruno Alves, Juanfran em jogos importantes da temporada. Na ausência dos atletas, utilizou peças que não corresponderam em outras oportunidades a fim de conseguir uma reação.

Com a ausência de Juanfran, o técnico apostou em Igor Vinícius. O atleta de 23 anos já esteve em campo em 1.157 minutos na atual edição do Campeonato Brasileiro, sendo titular em 12 jogos e usado como reserva em outros nove. A sua aparição na lateral direita, entretanto, foi a menos contestada neste período.

As outras escolhas, porém, foram questionadas. O técnico apostou em três nomes distintos para substituir Luciano no ataque. Sem o atacante que se responsabilizou por 15 gols e sete assistências nesta temporada, Fernando Diniz utilizou Vitor Bueno, Pablo e Tchê Tchê, respectivamente, para os jogos contra Red Bull Bragantino, Santos e Athletico.

Dentre os jogadores considerados suplentes na atualidade, o trio está no top 6 daqueles que receberam mais chances com Diniz durante a atual edição do Brasileiro. Tchê Tchê é quase o 12º jogador do time, com 1.756 minutos jogados em 19 jogos como titular e sete na condição de reserva. Vitor Bueno participou de 1.136 minutos do Tricolor paulista no Brasileirão, sendo dez como titular e 17 saindo do banco. Pablo, por fim, é o sexto reserva mais utilizado, com 1.120 minutos em 12 partidas como titular e 13 na condição de suplente.

Do trio escolhido, somente Tchê Tchê funcionou em um jogo do time na função de Luciano. Na vitória por 3 a 0 sobre o Atlético-MG, em 16 de dezembro, o meio-campista entrou na vaga do atacante e ajudou a equipe a alcançar um belo triunfo sobre um concorrente direto ao título nacional.

Na ausência de Luan, suspenso contra o Red Bull Bragantino, o treinador são-paulino apostou novamente em Tchê Tchê como primeiro volante. A função já foi exercida pelo meio-campista anteriormente. Porém, após uma sequência negativa no primeiro turno, o comandante se viu obrigado a tirá-lo da posição. Luan ganhou a vaga, e o técnico ainda não encontrou uma peça que possa substitui-lo em eventuais ausências.

Para o jogo contra o Internacional, amanhã (20), no Morumbi, o São Paulo deve ter apenas um titular ausente. Robert Arboleda cumprirá suspensão automática no compromisso. Luciano participou do treino ontem (18) e finalmente deve estar à disposição da comissão técnica.

Diniz, portanto, deve colocar a equipe em campo com a seguinte formação: Tiago Volpi; Juanfran, Bruno Alves, Diego Costa (Léo) e Reinaldo; Luan, Daniel Alves, Gabriel Sara e Igor Gomes; Luciano e Brenner.

Confira, abaixo, os números dos atuais reservas do São Paulo sob o comando de Fernando Diniz:

Tchê Tchê - 1.756 minutos (19T/7RU)
Diego Costa - 1.416 minutos (17T)
Léo - 1.228 minutos (14T/4RU)
Igor Vinícius - 1.157 minutos (12T/9RU)
Vitor Bueno - 1.136 minutos (10T/17RU)
Pablo - 1.120 minutos (12T/13RU)
Hernanes - 490 minutos (4T/13RU)
Paulinho Bóia - 486 minutos (5T/7RU)
Rodrigo Nestor - 160 minutos (1T/5RU)
Gonzalo Carneiro - 77 minutos (6RU)
Jonas Toró - 64 minutos (7RU)
Tréllez - 53 minutos (6RU)
Galeano - 1 minuto (1RU)

T: Titular
RU: Reserva utilizado

São Paulo